Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

cidade

Vereador Luis Costa realiza recolhimento de lixos e planta muda de árvores no Bairro Padre Onesto Costa


Da Redação

Com o objetivo de conscientizar a população, o projeto do vereador Luis Costa de plantar mudas de árvores em locais sujos e abandonados se fortaleceu no decorrer do seu mandato.

“Antes de ser vereador eu já tinha essa preocupação com nosso meio ambiente, e sempre pensei, porque não usar os espaços públicos, as calçadas que estão sem cimento, também próximo ao meio fio, e vários outros locais. E assim comecei a plantar muda de árvores com ajuda da minha família e amigos. Quando ganhei as eleições decidi plantar uma muda para cada eleitor meu, e hoje já plantei mais de 400 mudas de árvores pela cidade”. Explica Luis Costa.

Na semana passada alguns moradores do Bairro Padre Onesto Costa, chamou o legislador para ver a situação da última rua do bairro, que estava cheia de lixos de todos os tipos. Os moradores reclamaram que o bairro não tem Ecoponto e que os lixos que são secos, como por exemplo, restos de materiais de construção, folhas, móveis velhos, entulhos, e são recolhidos uma vez por mês.

“Diante da solicitação fui verificar a rua do bairro e decidi reunir alguns amigos e limpar todo o local. Foi muito boa a limpeza, porque parte da comunidade também se envolveu com o projeto, e a prefeitura foi parceira recolhendo os entulhos”. Ressalta o vereador.

Depois da limpeza, Luis Costa reuniu a comunidade novamente para plantar mudas no local, e no último sábado (27), realizou mais uma ação do seu projeto, levando a conscientização da importância de cuidar do meio ambiente para toda sociedade.

O vereador solicitou por meio de ofício a Secretaria de Infraestrutura do município, junto com a coordenação de meio ambiente a possibilidade de instalação de um Ecoponto no Bairro Padre Onesto Costa. Ainda não houve uma resposta.

 


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

política

Neri Geller, deputado federal eleito, deixa a prisão depois de HC concedido pelo STJ


Neri Geller (PP) solto na segunda-feira (12) — Foto: TVCA/Reprodução

Neri Geller (PP) solto na segunda-feira (12) — Foto: TVCA/Reprodução

O deputado eleito, Neri Geller (PP) foi solto no início da noite desta segunda-feira (12), após o Superior Tribunal de Justiça (STJ) acatar o pedido de habeas corpus impetrado pela defesa do e ex-ministro da Agricultura Pecuária e Abastecimento no domingo (11). Geller estava preso desde a última sexta-feira (9), em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá.

Ao ser solto, o ex-ministro concedeu entrevista à equipe de reportagem da TV Centro América. Ele negou as acusões e disse que não é indiciado, apenas teve o nome citado em uma delação.

“Não fui chamado para depor em nenhum momento das investigações e vou me inteirar das acusações e depois vou manifestar junto à imprensa”, disse.

O deputado eleito disse ainda que algumas pessoas que estão sendo acusadas de corrupção foram desafetos políticos dele durante o tempo em que foi ministro.

As investigações foram baseadas na delação do doleiro Lúcio Funaro, apontado como operador do MDB. Foram presos na ação Antônio Andrade (também ex-ministro da Agricultura), Rodrigo Figueiredo (ex-secretário de Defesa Agropecuária do Mapa, que já conseguiu liberdade), o empresário Joesley Batista e mais 13.

Ex-ministro diz que nunca foi chamado para depor — Foto: TVCA/Reprodução

Ex-ministro diz que nunca foi chamado para depor — Foto: TVCA/Reprodução

A prisão

O ex-ministro foi preso durante a Operação Capitu, por suposto envolvimento em um esquema de corrupção no Ministério da Agricultura entre 2013 e 2014 e é um desdobramento da Lava Jato.

Neri Geller estava hospedado em um hotel de Rondonópolis porque participaria de um evento agropecuário. Por volta de 6h, três agentes da Polícia Federal (PF) chegaram ao local em carro descaracterizado e o levaram em cumprimento a um mandado de prisão temporária.

Após a prisão, Geller foi levado para a delegacia da PF e, posteriormente, encaminhado para a Penitenciária Major Eldo de Sá Corrêa, a Mata Grande, por não ter nível superior.

Fonte: G1 Mato Grosso