Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

política

Vereador Luis Costa afirma que reunião da CPI com a empresa Águas de Primavera foi esclarecedora e espera avanços na prestação dos serviços


Da Redação

“A CPI tem esse papel de provocar a empresa e o executivo contrapor o que está errado e assim encontrar possíveis soluções e readequar os serviços”. Esclarece Luis Costa.

Foram mais de quatro horas de reunião entre os vereadores que compõem a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga a empresa Águas de Primavera, e representantes da empresa. A reunião ocorreu na Câmara Municipal, na segunda (17), na sala das comissões e já com o processo da CPI montado, os vereadores conseguiram pontuar todos os documentos, dados e análises feitas durante o percurso, na qual, os representantes da empresa, puderam assim esclarecer e também adiantar possíveis soluções aos problemas levantados.

O processo iniciou com as reclamações dos moradores de Primavera do Leste, em que, algumas contas de água com valores muito altos, chegando a R$ 800 reais. As reclamações vieram de vários bairros da cidade, como o Guterres, Padre Onesto Costa, Buritis, Primavera 3, entre outros. Além das reclamações realizadas aos legisladores da cidade também foi levantado todos os processos que existem registrados na Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (PROCON). Outro apontamento apresentado são as multas expedidas pela Coordenadoria de Meio Ambiente do Município e a Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMA), em que constam possíveis crimes ambientais.

Diante da perspectiva conflitante, os legisladores aprovaram durante sessão ordinária a abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) e depois do levantamento de dados e estudo do contrato entre a concessionária e o município, a CPI, por meio de processo licitatório contratou uma empresa para fazer a coleta e análise da qualidade e medições do Tratamento de Esgoto praticado pela empresa.

Com os dados nas mãos, durante a reunião, os vereadores puderam confrontar os representantes da empresa. “A população nos procurou e tem reclamado das contas altas e dizem que a situação não tem uma explicação plausível, porque em um mês sobe o valor de forma escancarada. O questionamento da população é que a empresa apenas parcela o valor e a comunidade quer saber os motivos e não apenas parcelar as contas. Outro ponto é os possíveis crimes ambientais. E nesta reunião, pudemos ouvir os motivos apresentados pela empresa”. Explica o Vereador e Presidente da CPI, Luis Costa (PR).

Na reunião os representantes da empresa esclareceram que sempre atendeu a comunidade pelo telefone gratuito e também no escritório, que fica no centro da cidade. Mas os vereadores questionaram solicitando alternativas para esclarecer e verificar os problemas e uma delas apresentadas pela empresa, poderá ser uma vistoria técnica em todos os registros de água das residências com problemas de valores, e esta ação poderá ser efetuada em parceria com a Câmara de Vereadores, para que assim o poder legislativo acompanhe in loco todo o processo.

Mais uma cobrança pontual realizada pela CPI foi à prestação de contas, em que a empresa afirma que todo o mês realiza, mas que nunca houve uma obrigatoriedade por parte do executivo de como seria. “O que pude entender durante a reunião é que o poder público está sendo omisso em relação à fiscalização do trabalho desenvolvido pela empresa. Podemos verificar que o contrato realizado em 1999 é antigo e com brechas, mas hoje com a CPI, vamos colocar em nosso relatório final a importância da fiscalização e o acompanhamento, para que a população saiba o que a empresa tem investido, mas também onde está errando. A CPI tem esse papel de provocar a empresa e o executivo, contrapor o que está errado e assim encontrar possíveis soluções e readequar o serviço”. Esclarece Luis Costa.

O legislador diz ainda que o relatório final estará pronto antes do recesso parlamentar e que será apresentado ainda essa semana. Após a conclusão será entregue ao Ministério Público (MP) para que possa intermediar junto ao executivo uma solução definitiva.

O que diz a empresa Águas de Primavera

Na reunião o diretor executivo da Empresa Águas de Primavera, Thiago Maziro, junto com sua equipe de técnicos e representante jurídico, respondeu a todos os questionamentos do processo da CPI. Informou que o sistema de água como o de esgoto é adequado para demanda de Primavera do Leste, porém como o município cresceu muito em número populacional, a empresa terá que antecipar as metas. “Hoje estamos fazendo uma remodelagem para o sistema de água, e ainda na estação de tratamento de esgoto a gente tem investido em novas tecnologias como aparelhos de aeração para deixar a estação com um sistema em melhor funcionamento”. Menciona.

Thiago aponta que o sistema de água, por exemplo, nos últimos três meses recebeu investimento em perfuração de poços. E na estação de esgoto está se investindo em estações elevatórias, em que, duas estão em reformas. Em relação ao Córrego Trairás, que por várias vezes foi citado pelos vereadores que no local aparenta crime ambiental, o diretor executivo, informou que colocou dez aeradores para melhorar o processo de tratamento e assim proporcionar mais eficiência.

Para finalizar Thiago se comprometeu em entregar alguns documentos solicitados pela CPI durante a reunião e afirmou que a conversa foi muito boa. “Se existe a necessidade da gente repactuar algumas coisas que não estavam previstas no contrato e hoje são desejos da população e indagadas pelos vereadores que trouxeram essas demandas para a gente, então somos a favor e agora iremos sentar junto ao executivo para remodelar esse contrato e fazer todas as adequações necessárias para o município de Primavera do Leste”. Conclui.

Composição da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI)

Presidente: Vereador Luis Costa;

Relator: Vereador Antônio Marcos Carvalho dos Santos;

Secretário: Vereador Paulo Marcio Castro e Silva;

Membro: Vereadora Carmem Betti Borges de Oliveira;

Membro: Vereador Carlos Araújo


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

Brasil

Calendário de pagamento do Seguro DPVAT já está disponível na internet


O calendário de pagamento do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (Seguro DPVAT) já está disponível para proprietários de veículos de todo o país no site da Seguradora Líder, no qual o boleto pode ser gerado.

São Paulo - Prefeito João Doria sanciona criação do Parque Municipal do Minhocão, que prevê desativação gradativa do Elevado João Goulart para carros e uso exclusivo para lazer (Rovena Rosa/Agência Brasil)
O seguro é obrigatório e deve ser pago por motoristas e motociclistas de todo o país – Arquivo/Agência Brasil

A Líder é responsável pela administração desse seguro obrigatório, que deve ser pago uma vez por ano para obtenção do licenciamento do veículo. Se não pagar, o proprietário perde o direito ao seguro em caso de acidente, se for o condutor do veículo no momento da ocorrência, mas os demais envolvidos permanecem cobertos.

O prêmio deve ser quitado junto ao vencimento da cota única ou da primeira parcela do Imposto Sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), nos bancos Bradesco, Caixa, Santander, Itaú e Banco do Brasil.

O pagamento segue o calendário do IPVA de cada estado. No caso do Rio de Janeiro, por exemplo, o prazo para pagar o IPVA vence no próximo dia 21 para veículos de placa final 0, informou a assessoria de imprensa da Líder. A seguradora esclareceu que, no caso de veículos isentos do IPVA, o pagamento do DPVAT deve ser feito durante o emplacamento ou licenciamento anual. A forma de pagamento varia de estado para estado.

Deságio

De acordo com resolução do Conselho Nacional de Seguros Privados, em dezembro do ano passado, foi aprovada redução média de 63,3% no valor do DPVAT para 2019. O valor da redução dpende do tipo de veículo. Automóveis particulares e táxis, por exemplo, terão o DPVAT reduzido em 71%. A tarifa será de R$ 16,21 para automóveis particulares.

Para motocicletas, responsáveis pela maioria dos acidentes de trânsito atendidos pelo Seguro DPVAT, o valor do prêmio chega a R$ 84,58.

Da mesma forma que ocorreu no ano passado, o Seguro DPVAT não poderá ser parcelado para nenhuma categoria de motoristas. Os valores são válidos para todo o país. Dúvidas podem ser esclarecidas na Central de Atendimento da Seguradora Líder no número 4020 1596 (regiões metropolitanas) ou 0800 022 12 04 (outras regiões). O Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) pode ser acessado no número 0800 022 8189, 24 horas por dia.

Cobertura

O Seguro DPVAT cobre qualquer cidadão acidentado no Brasil, seja motorista, passageiro ou pedestre. São oferecidos três tipos de cobertura: morte (R$ 13.500), invalidez permanente (até R$ 13.500) e reembolso de despesas médicas e hospitalares da rede privada de saúde (até R$ 2.700). A proteção é assegurada por um período de até três anos.

Do total de recursos arrecadados pelo Seguro DPVAT, 50% são destinados à União, dos quais 45% vão para o Sistema Único de Saúde (SUS), visando ao custeio da assistência médico-hospitalar às vítimas de acidentes de trânsito; e 5% vão para o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), para investimento em programas de educação e prevenção de acidentes de trânsito. Os 50% restantes são reservados para despesas, reservas e pagamento de indenizações.

Fonte: Agência Brasil