Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

A Palavra

Vereador discorda de matéria de site sobre vereadores de Primavera e envia Nota de Repúdio


Nota de Repúdio

Eu vereador Luis Costa, venho por meio desta nota de repúdio, dizer que o site de notícias intitulado “noticiasmatogrosso.com.br” publicou no dia 23 de janeiro, uma matéria extremamente opinativa, com o título “Vereadores de PVA do Leste Deveriam visitar mais vezes a população”.

A publicação sem dados oficiais e fontes não oficiais, e com a fala de apenas um morador chamado “Everton Plínio Martiny”, levando em consideração que a população da cidade, segundo dados do IBGE, é de 59.253 habitantes, a utilização de apenas uma fonte não constitui credibilidade absoluta.

Segundo o pesquisador em jornalismo, Mário Erbolato, em um de seus livros – Técnicas de Codificação em Jornalismo – jan/1991 – afirma que “O fator de credibilidade está relacionado ao ponto de vista do jornalista, que ao avaliar a credibilidade da fonte, pode a partir disto, avaliar a credibilidade da informação fornecida por ela”.

Por conseguinte, não há credibilidade e sim uma generalização ao falar do poder legislativo e o trabalho dos vereadores, na qual, considera-se o site como sensacionalista.

No primeiro parágrafo da matéria em que “Vereadores de PVA deveriam visitar mais vezes a população ao invés de ficarem no ar condicionado”.

Eu Luis Costa estou na rua atendendo o chamado da população em todos os períodos. Além de fiscalizar e participar ativamente dos trabalhos do poder executivo. Gostaria de convidar a todos para visitar minha página no facebook e visualizar as fotos e textos das minhas ações. Também vou disponibilizar alguns links de reportagens sobre algumas atuações que venho fazendo. Ah! Outro detalhe importante é que todos os dias fazemos um relatório de trabalhos que foram realizados. Os relatórios são entregues ao jurídico da Casa de Leis, mensalmente, e toda a população pode ter acesso. Basta vim até a Casa de Leis e solicitar o documento para averiguar o trabalho que venho desenvolvendo”. Explica Luis Costa.

No segundo parágrafo da matéria em que “População que realmente utilizam os serviços públicos de má qualidade sabem muito, sendo que os vereadores de Primavera do Leste necessitam sair mais da zona de conforto e conversar mais com a população principalmente os moradores dos bairros mais distantes”.

Primeiro que a população é muita gente, e somos individualmente diferentes, por acaso a matéria entrevistou toda a população? Por que eu desconheço. Segundo ponto, quando é citado os vereadores de Primavera do Leste. Novamente aqui foi falado de forma generalizada. Eu estou falando de mim mesmo e eu sempre sai as ruas para trabalhar em prol de nossa cidade. Novamente faço o convite para uma conversa em meu gabinete. Convido a todos que queiram conhecer a Casa de Leis. E digo que todas as ligações, marcações em redes sociais como facebook, eu tenho respondido. Nunca deixei de atender uma reivindicação. Sou fiscalizador, mediador e também como jornalista, denuncio as mazelas de nossa sociedade”. Fala Luis Costa.

Ano 2017

Durante o ano de 2017, inúmeras ações foram desenvolvidas pelo vereador Luis Costa (PR). Foram 5 projetos de leis, sendo que três ainda está em processo de estudo e apreciação pelas comissões e 2 já foram aprovados pela Casa de Leis e sancionados pelo prefeito. Sendo eles: O projeto de lei que obriga os poderes municipais, legislativo e executivo, a transmitir ao vivo, por canais de mídias sociais, todo o processo de licitação. Este projeto foi destaque em todo o estado de Mato Grosso, por ser uma iniciativa que busca a transparência pública e a participação popular. E o outro projeto de lei aprovado, foi intitulado como “Dezembro Vermelho”, que dedica todo o mês de dezembro, para desenvolver ações específicas para o combate, luta e conscientização do HIV/AIDS. Mais uma vez o vereador Luis Costa, foi destaque com o projeto Dezembro Vermelho, sendo o primeiro no estado de Mato Grosso. Luis Costa tem demonstrado que a luta por uma sociedade se dá por meio de muito trabalho e a política é um instrumento valioso, para que a cidadania aconteça.

As andanças pela cidade foram inúmeras, dentre elas a participação de reuniões com o executivo, a presença dentro dos Conselhos Locais de Saúde, a apuração de denúncias, e a parceria com órgãos não governamentais para tratar de assuntos relacionados ao bem estar da comunidade. Todas essas atividades resultaram também em 55 indicações para as secretarias de saúde, obras, educação, cultura, administração, turismo, meio ambiente, entre outras.

Ao encontro de todos esses trabalhos, fica evidente a notoriedade da atuação do vereador dentro da Casa de Leis. Ocupando o cargo de 2º secretário na mesa diretora, o legislador esteve em todas as atividades realizadas pela Câmara Municipal em 2017. Como exemplo, o projeto “Caravana Câmara”, que percorre as estradas do interior de nossa cidade, para ir ao encontro dos pequenos, médios e grandes produtores, também dos assentados, comunidades e vilas, que estão localizadas na zona rural do município. A aproximação do legislativo com essas pessoas nestes lugares mais distantes tem como objetivo, ouvir a demanda e solicitar melhorias por meio do executivo.

Outra atividade que foi destaque no ano de 2017 foi as “Sessões Itinerantes”, em que a Casa de Leis, realizou sessões nas comunidades de nosso município, possibilitando ao cidadão um contato mais direto com os legisladores. O vereador Luis Costa (PR) esteve presente em todas as atividades, porque além de ir até as sessões para atender a comunidade, foi para as ruas convidar a todos a participar, ressaltando sempre que todo o trabalho realizado pelo Poder Legislativo precisa do envolvimento da sociedade, do cidadão.

Um ano marcado de ações concretas, de idéias e diálogos, trabalhos que já renderam frutos e que terão continuidade.

Link Facebook: https://www.facebook.com/luiscostamt/

 

 


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

política

Neri Geller, deputado federal eleito, deixa a prisão depois de HC concedido pelo STJ


Neri Geller (PP) solto na segunda-feira (12) — Foto: TVCA/Reprodução

Neri Geller (PP) solto na segunda-feira (12) — Foto: TVCA/Reprodução

O deputado eleito, Neri Geller (PP) foi solto no início da noite desta segunda-feira (12), após o Superior Tribunal de Justiça (STJ) acatar o pedido de habeas corpus impetrado pela defesa do e ex-ministro da Agricultura Pecuária e Abastecimento no domingo (11). Geller estava preso desde a última sexta-feira (9), em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá.

Ao ser solto, o ex-ministro concedeu entrevista à equipe de reportagem da TV Centro América. Ele negou as acusões e disse que não é indiciado, apenas teve o nome citado em uma delação.

“Não fui chamado para depor em nenhum momento das investigações e vou me inteirar das acusações e depois vou manifestar junto à imprensa”, disse.

O deputado eleito disse ainda que algumas pessoas que estão sendo acusadas de corrupção foram desafetos políticos dele durante o tempo em que foi ministro.

As investigações foram baseadas na delação do doleiro Lúcio Funaro, apontado como operador do MDB. Foram presos na ação Antônio Andrade (também ex-ministro da Agricultura), Rodrigo Figueiredo (ex-secretário de Defesa Agropecuária do Mapa, que já conseguiu liberdade), o empresário Joesley Batista e mais 13.

Ex-ministro diz que nunca foi chamado para depor — Foto: TVCA/Reprodução

Ex-ministro diz que nunca foi chamado para depor — Foto: TVCA/Reprodução

A prisão

O ex-ministro foi preso durante a Operação Capitu, por suposto envolvimento em um esquema de corrupção no Ministério da Agricultura entre 2013 e 2014 e é um desdobramento da Lava Jato.

Neri Geller estava hospedado em um hotel de Rondonópolis porque participaria de um evento agropecuário. Por volta de 6h, três agentes da Polícia Federal (PF) chegaram ao local em carro descaracterizado e o levaram em cumprimento a um mandado de prisão temporária.

Após a prisão, Geller foi levado para a delegacia da PF e, posteriormente, encaminhado para a Penitenciária Major Eldo de Sá Corrêa, a Mata Grande, por não ter nível superior.

Fonte: G1 Mato Grosso