Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

política

Surge um novo grupo na política de Primavera, o grupo do povo, diz Luís Costa


Luís Costa (PR), foi o candidato a deputado estadual mais votado em Primavera do Leste. O parlamentar concorreu ao cargo ao lado de outras três pessoas da cidade, o também vereador Miley Alves, Zeca Viana e Toninho Nogueira, dentre esses Luís conquistou 13,91% dos votos válidos, o que representa 3.973.

Em entrevista ao jornal O Diário na manhã de segunda-feira (08), o vereador falou da experiência de concorrer a uma cadeira na Assembleia Legislativa e a surpresa do resultado, pois segundo Costa, ele não teve apoio de grupos políticos da cidade e acredita que o resultado nas urnas é um recado da população que quer mudanças.

Mesmo não alcançando o objetivo final, que era o de se tornar representante de Primavera do Leste na Assembleia Legislativa, Luís Costa disse estar muito satisfeito com o resultado. “Todo mundo que participa de uma eleição quer ganhar e fica muito contente quando atinge esse objetivo, mas na realidade da campanha, no dia a dia, avalio como positivo. Estou muito contente com a população de Primavera que entendeu que nem sempre o dinheiro e o sobrenome que você carrega é importante, ter trabalho prestado e estar ao lado do povo, é muito importante na política. A
População deu esse recado nas urnas”, ressaltou.

Dos 49.970 candidatos aptos a votar, 33.919 compareceram aos locais de votação. O que chama a atenção é a divisão dos votos, já que 110 candidatos a deputado estadual receberam votos dos primaverenses, diante desse cenário, Luis Costa avalia que faltou união entre as lideranças para que a cidade de fato tivesse um representante. Além disso o vereador ressaltou que o fator econômico fez a diferença.

“Na época de eleições candidatos de outras cidades vem para cá e
derramam dinheiro para poder se eleger. Como? Comprando as lideranças que vai pedir votos aqui. Por isso outros candidatos têm voto aqui. A população ainda não entendeu a importância que é ter um deputado que seja realmente de Primavera, que se interesse em resolver o problema daqui. Ter alguém daqui só por ter não adianta, mas a população precisa entender como funciona a politica. Outros candidatos são bem votados por causa do dinheiro. Outra situação que eu avalio, estamos vivendo uma época de governo populista, onde se xinga todo mundo, mentem, fazem discursos moralistas, pois quando você chega em um cargo, vê que
não consegue fazer o que falava. Primavera podia ter feito sim, dois deputados, mas ainda está muito dividido devido a questões econômicas, a falta de união aqui se reflete no financeiro”, avaliou.

Dos quatro nomes que concorriam a uma cadeira na Assembleia, nenhum conseguiu uma das 24 vagas, assim Primavera do Leste fica sem um representante direto no cenário estadual, o que para Costa é extremamente ruim para a cidade. “Não ter representante é ruim, vamos ter que bater na porta deles pedindo favor, seja em Brasília ou em Cuiabá. Dos que foram eleitos e tiveram o apoio do prefeito o que destinaram para cá? O que eles trouxeram para cidade? Claro que eles vão priorizar a cidade deles, priorizar onde tiveram mais votos. Eles não têm compromisso com a população. Será muito ruim, não vai ter ninguém por Primavera cobrando, vai faltar
na saúde, vai faltar na educação, pois não teremos a quem cobrar”,ressaltou o candidato que novamente voltou a criticar as lideranças da cidade.

“A liderança que pega dinheiro e pede votos para candidatos de outra cidade só pensou nele. Pegou o dinheiro e pensou em si, não na comunidade. A política tem que ser feita no coletivo pensando em todos. Muita gente me pergunta se poderia ter sido só eu o candidato de Primavera. Se fosse ver o que foi tratado lá atrás, sim seria só eu! Tirando o Zeca que é de outro grupo e estaria eleito também. Vejo a falta de união e de pensar na cidade de verdade, as pessoas pensam apenas nos seus grupos e não na cidade, com
isso vem consequências ruins para o município”, explicou.

Porém, Luís se vê otimista diante do cenário e acredita que as pessoas já estão com um novo olhar. “Nota-se um novo grupo surgindo. Meu grupo é o povo, não tive apoio de nenhum político da cidade. Se o povo quer, por que não pensar em ser prefeito de Primavera? Por que não pensar novamente em uma candidatura para deputado? Nestes dois anos que temos a frente da Câmara, espero passar para a população a importância do voto, a importância em votar em alguém que é da cidade. Quem sabe agora as pessoas passem a entender o verdadeiro papel de um político, um político que briga, não apenas ser político por nome. Um político que
trabalha e não somente pense no dinheiro”, frisou.

O vereador fez questão de agradecer a todos que, direta e indiretamente, ajudaram na campanha e confiaram a ele o voto. “Fiz uma campanha sem dinheiro e por mim, pela minha esposa e meu filho. O povo mostrou que eles querem um novo grupo. Agradeço a todos que andaram comigo o tempo todo, pessoas voluntárias que entregavam os santinhos para familiares. Agradecer a todos de Primavera e também em toda região. Prometo continuar trabalhando ao lado do povo”, finalizou.

Fonte: Jaqueline Hatamoto / Clique F5


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

Brasil

Michel Temer é preso por força-tarefa da Lava Jato; Moreira Franco é procurado


A Força-tarefa da Lava Jato prendeu Michel Temer, ex-presidente da República, na manhã desta quinta-feira (21). Os agentes também tentam cumprir um mandado contra Moreira Franco, ex-ministro de Minas e Energia. Os mandados foram

expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio.

De acordo com o G1, a Polícia Federal (PF) tentava rastrear e confirmar a localização de Temer desde quarta-feira (20), sem obter sucesso. Por este motivo, a operação prevista para as primeiras horas desta quinta-feira atrasou.

A prisão de Temer tem como base a delação de Lucio Funaro. No ano passado, Funaro entregou à Procuradoria-Geral da República informações complementares do seu acordo de colaboração premiada. Entre os documentos apresentados estão planilhas que, segundo o delator, revelam o caminho de parte dos R$ 10 milhões repassados pela Odebrecht ao MDB na campanha de 2014.

A delação de Lúcio Funaro, operador do PMDB, feita em setembro de 2017 e homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), serviu como base para a força-tarefa da Lava Jato. A colaboração de Funaro detalha como funcionava o esquema de corrupção no Congresso, chefiado por nomes fortes do PMDB – entre eles, Henrique Alves, Geddel Vieira Lima, Moreira Franco, Eduardo Cunha e Tadeu Filippeli.

De acordo com o jornal O Globo, investigadores cruzaram informações e documentos fornecidos por Funaro com planilhas entregues à Justiça pelos doleiros Vinícius Claret, o Juca Bala, e Claudio Barbosa, o Toni. Eles são apontados como responsáveis por mandar valores para o exterior para políticos e empresários, inclusive Altair Alves Pinto, apontado como operador de Eduardo Cunha. Altair era conhecido como “o homem da mala” e repassava dinheiro para Cunha e para o ex-presidente Michel Temer.

Em breve, mais informações.

Istoé 


HOME / NOTÍCIAS

Brasil

Provas do Enem serão aplicadas nos dias 3 e 10 de novembro


As provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano serão aplicadas nos dias 3 e 10 de novembro, segundo cronograma divulgado na tarde de hoje (27) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Pelo calendário, as inscrições estarão abertas de 6 a 17 de maio.

Entre 1º e 10 de abril os estudantes poderão pedir isenção da taxa de inscrição. Nesse mesmo período, o Inep vai receber as justificativas dos que faltaram às provas em 2018. O edital do Enem, conforme o instituto, será publicado no próximo mês.

No ano passado, 5,5 milhões de pessoas se inscreveram para fazer o Enem, mas 4,1 milhões compareceram aos dois dias de provas. Nos dois domingos de exame, os estudantes precisam desenvolver conhecimentos de linguagens, incluindo redação, ciências humanas, ciências da natureza e matemática.

Os resultados do Enem podem ser usados em processos seletivos para vagas no ensino superior público, pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para bolsas de estudo em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni), e para obter financiamento do curso pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Em 2019 o Sisu ofereceu 235,4 mil vagas, distribuídas em 129 universidades públicas de todo o país. Além de universidades brasileiras, os estudantes podem se inscrever em 37 instituições portuguesas que têm convênio com o Inep.

Enem

 

Fonte: Agência Brasil