Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

geral

Secretário alerta: se você está indo a festa, pode precisar de um leito e não vai ter


“O período crítico chegou e podemos ter dias piores”. A frase é do secretário de Saúde de Mato Grosso, Gilberto Figueiredo, que retomou o trabalho presencial após ficar após uma semana afastado, devido ao fato de ter mantido contato com pessoas infectadas com a Covid-19. Ele concedeu entrevista coletiva virtual nesta semana e fez um apelo para que as pessoas respeitem o isolamento social, sob pena de faltar leitos em UTIs.

Segundo Gilberto, os números falam por si. Ele alerta para o fato de a flexibilidade do comércio das cidades não ajudar a manter o isolamento das pessoas. Além disso, uma parcela da população está, inclusive, passeando por shopping centers.

“Por ora, tenho visto gente indo passear em shopping como se nada tivesse acontecendo. Estamos em um período crítico e podemos ter dias piores. Se você está indo a festa, shopping e reunião, é importante você saber que você pode precisar de um leito não vai ter”, alertou Gilberto.

Visivelmente triste com as medidas de flexibilização, Gilberto comentou que espera que os gestores tenham um pouco mais de sensibilidade e, se for preciso, que todos busques medidas que ajudem a tirar o povo das ruas.

“A questão de abrir ou não o comércio é de total responsabilidade do prefeito. Espero que hoje, com a reunião entre os membros da Comissão de Saúde, o governador Mauro Mendes (DEM) traga uma proposta aos prefeitos para que eles nos ajudem, porque se vier a faltar UTI, não teremos o que fazer, não vai dar pra ficar transferindo paciente se não tiver leito. O certo é que se continuar desse jeito, com o povo na rua, teremos mais problemas daqui pra frente”, disse.

Sobre o estudo da UFMT que garante que em setembro o estado terá mais de 300 mil infectados, Gilberto disse que respeita os dados, mas em outro momento já disseram que até maio mais de 40 mil iriam morrer, porém estamos em junho e pouco de 120 óbitos foram contabilizados.

“Não vou ficar fazendo crítica a previsão de outros órgãos. Quantas previsões já foram feitas? No início disseram que teríamos 40 mil mortes em maio. O que eu posso assegurar é que os números estão crescendo. Em pouco mais de 15 dias dobramos os números. A previsão é que haja crescimento substancial e por isso é preciso tomar medidas duras.  Não haverá leito suficiente de UTI para atender a todos. Não adianta enganar a população. Vai faltar leito sim. Estamos fazendo tudo que é possível para não deixar isso acontecer, mas estamos com uma situação muito difícil com os dados crescendo”, disse o secretário.

Olhar Direto 


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

política

Pedido de cassação de Luis Costa é arquivado após vereador citar perda prazo da conclusão de processo


Da Redação

Em sua 2º legislatura, eleito pelo povo, o vereador Luis Costa (PDT) se posiciona a favor das políticas públicas que favorecem o povo. É incisivo em dizer que não tem lado político, e que sempre lutará pelos diretos dos cidadãos primaverenses. Diante das inúmeras denúncias realizadas, sendo, contrário há algumas condutas da gestão municipal, e a atuação de alguns profissionais liberais que trabalham de forma indireta com grupos políticos, Luis tem deixado algumas pessoas incomodadas.

 

Recentemente um advogado que atuou frente a gestão municipal sentiu-se ofendido e requereu a cassação do mandato do vereador Luis Costa, que segundo o advogado, o legislador se referiu ao profissional de forma pejorativa. O pedido foi para o plenário e desta forma a maioria dos pares votou pela abertura da Comissão Processante (CP) para investigar a conduta do vereador.

 

Durante a última sessão ordinária (18/10), o relatório concluído da CP do vereador Luis Costa foi para a pauta, na qual, antes da leitura da CP, Luis Costa citou em tribuna o artigo 71 do Regimento Interno dizendo sobre os prazos. Após sua fala, o presidente da Casa de Leis, durante a leitura do projeto da CP, citou um requerimento do próprio advogado que solicitou a abertura da Comissão, e nesta ocasião, o documento consta a não continuidade em relação ao objetivo principal da CP, em que, solicita a cassação do vereador. Diante dos fatos o presidente da Casa de Leis, decidiu-se por acatar a questão de ordem e retirou de pauta o parecer da comissão e determinou o trancamento da presente denúncia.

 

“Eu quero agradecer a Deus em primeiro lugar, pois se estou aqui é graças e ele que me concedeu este lugar. Quero agradecer aos amigos e família, pois cada um esteve comigo em vários momentos. Antes de iniciar a leitura do processo de cassação eu já tinha mencionado a situação da perca dos prazos, mas independentemente da situação quero aqui agradecer também aos colegas vereadores que disseram que votariam ao meu favor. Estamos em uma briga política, em que a situação não é apenas o meu cargo político e sim a minha família e a minha luta contra a corrupção. Pois existem pessoas como o advogado Dr. Claudiomar que está agora atuando para minha ex-mulher e tem tentado de todas as maneiras me atingir. Uma tentativa foi o bloqueio das minhas redes sociais. Quero dizer que não vão conseguir me calar, pois minha luta é pelo bem e contra a corrupção e continuarei trabalhando forte e firme, pois eu tenho Deus e sei que estou no caminho certo”. Descreve Luis Costa.