Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

política

Sebastião Rezende é “reincidente” em denúncia de suposta contratação de funcionário fantasma


Sebastião Rezende é “reincidente” em denúncia de suposta contratação de funcionário fantasma

A legislação eleitoral agora proíbe candidato de receber doações de entidades religiosas e também de fazer propaganda dentro de templo, o que deve dificultar a vida de alguns candidatos, entre eles, o deputado estadual Sebastião Rezende (PSC), que buscará a reeleição, esperançoso principalmente nos votos dos irmãos-fiéis, já que enfrenta grande desgaste frente ao eleitorado, com um trabalho sem destaque no Parlamento Estadual, além de ter sido citado na delação do ex-governador Silval Barbosa.

Se não bastasse isso, o deputado ainda é acusado de empregar funcionários fantasmas, prática comum na velha política, mas desprezada nos dias atuais. Se não vejamos: ele foi denunciado em reportagem do programa de Everton Pop e abrigar em seu gabinete a madrasta do vereador Abílio Júnior (PSC), Damaris Rastelli, que não cumpriria expediente na Assembleia Legislativa de Mato Grosso, fato que teve grande repercussão e acabou por desagradar os líderes da Assembleia de Deus.

Porém, essa denúncia não é fato isolado. Rezende responde também por outra acusação de indicação de funcionário fantasma, na Secretaria de Estado de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar (Sedraf), em 2014. Na época, a denúncia partiu da ex-coordenadora de Apoio às Políticas de Incentivos aos Jovens e Mulheres Rurais, Nilza Amaral Segundo ela, Sebastião Rezende teria indicado Maria Aparecida de Medeiros Moreira para ocupar o seu lugar, porém, a indicada nunca teria aparecido para trabalhar.

Logo após a denúncia, foi assinado pelo então secretário de Estado de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar, Luiz Carlos Alécio, o pedido de exoneração de Maria Aparecida.

Chama atenção a semelhança entre os fatos ocorridos em 2014 e o que foi denunciado pelo programa de Everton Pop, pois a servidora Damaris logo após a denúncia também foi exonerada do gabinete do deputado.

Como se nota, Sebastião Rezende terá enormes percalços para alcançar a vitória no pleito de outubro próximo. Lembrando ainda que citado em delação como um dos recebedores de “mensalinho” do Governo Silval, que em delação detalhou que a irmã do deputado Rezende ia na Governadoria buscar a propina no lugar do irmão, assim como fazia a irmã do deputado estadual Airton Português.

A ‘espécie de mensalinho’ fazia parte de um acordo entre o governo e o Legislativo estadual, para que não denunciassem os desvios da organização criminosa instalada no Palácio Paiaguás e ainda apoiassem os projetos encaminhados à Casa de Leis, pelo governo do Estado.

“Desses pagamentos foram feitos diretamente aos deputados estaduais, que iam pessoalmente ao gabinete do Declarante na governadoria, sendo que se recorda que somente o deputado SEBASTIÃO REZENDE em algumas vezes encaminhou sua irmã para receber seu pagamento, bem como o deputado AIRTON PORTUGUES, que em uma ocasião também determinou que sua irmã de nome VANICE DE TAL, fosse buscar seu pagamento junto ao Declarante no palácio do governo”, diz trecho da delação.

Rezende também foi apontado pelo ex-deputado José Geraldo Riva com um dos 33 parlamentares e ex-parlamentares  que recebiam o ‘‘mensalinho”. Em depoimento à Justiça, Riva confessou que recebia um “mensalinho” do governo do estado. A propina, segundo ele, também foi recebida por outros 33 deputados para que votassem os projetos de interesse do Executivo, entre eles citou o nome de Sebastião Rezende.

DEPUTADO TENTA INTIMIDAR E ENTRA COM AÇÃO CONTRA O CO POPULAR

Após ser alvo de matérias investigativas veiculadas no jornal Centro-Oeste Popular, o deputado Rezende entrou com uma representação contra este periódico, talvez como forma de pressionar para que a linha editorial seja mudada ou que novas denúncias sejam deixadas de lado.

Porém, o CO Popular esclarece mais uma vez que sua linha investigativa não será deixada de lado, levando informações de interesse da população não só ao conhecimento público, como também encaminhando as denúncias aos órgãos competentes, como o Ministério Público, Tribunal de Contas e outros.

Mais que isso, a direção do CO Popular já encaminhou questionamentos ao Ministério Público Estadual e Assembleia Legislativa se está havendo fiscalização e investigação quanto a essas supostas contratações de funcionários fantasmas.

Fonte: Centro Oeste Popular 


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

geral

Poder Público e sociedade civil intensificam combate a dengue em Primavera do Leste


Cada cidadão precisa se conscientizar de que esse problema é de todos

Com objetivo de montar estratégias para combater com eficácia o foco/criadouro do mosquito da dengue em Primavera do Leste, a equipe do Escritório Regional da Secretaria de Estado de Saúde, instalado em Rondonópolis, sob a coordenação da bióloga Márcia Veloso, se reuniu com os órgãos públicos responsáveis pela saúde pública, como Secretaria de Saúde, Vigilância Sanitária, Secretaria de Educação, Defesa Civil, Polícia Militar, gabinete do prefeito, entidades da sociedade civil, como Rotary, imprensa e presidentes de bairros.

Márcia reforça que, com cerca de 180 casos confirmados, se torna imperioso que o município tenha ações efetivas e, principalmente, que conscientize a população de que a responsabilidade é de todos “e, não apenas da vigilância sanitária, porque só dessa forma, com o engajamento de todos, poderemos vencer essa luta”.

Para a jornalista Jaqueline Hatamoto, que representou a imprensa na reunião, “não se pode desistir porque o trabalho de conscientização não está tendo eco inicialmente, não está sendo assimilado pela população, mesmo assim é preciso insistir, mostrar as estatísticas porque pelo que ouvimos, a união de esforços é a única maneira de controle desse foco”.

A secretária de saúde Laura Kelly se reuniu nessa quinta-feira (23), com 119 servidoras, ACS e ACE, para intensificar o trabalho que é feito rotineiramente e, traçar um trabalho mais efetivo em termos de conscientização das pessoas, “esse trabalho tem que ser coletivo, cada um se conscientizar de que se a sua casa precisa ser bem cuidada, prestar atenção nos mínimos detalhes, só assim atingiremos nossos objetivos”.

A coordenadora da Vigilância Sanitária, Aline Lago, explicou que dispõe de onze fiscais e dois carros para trabalhar focando principalmente no comércio. Segundo ela, a diferença da fiscalização no comércio e nas residências é que no comércio os fiscais podem entrar sem autorização do proprietário e nas residências não, precisa da concordância de quem reside no imóvel. São 1.400 estabelecimentos cadastrados na Vigilância Sanitária em Primavera do Leste, e é preciso visitar pelo uma vez por ano cada um deles, segundo normativa da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, que estipula quais estabelecimentos devem ser vistoriados de acordo com o CNAE – Classificação Nacional de Atividades Econômicas.

Buscando alternativas, Aline reitera que é preciso envolver a comunidade e, com essa ideia, ela vai pedir apoio da Igreja Católica, através do grupo Lareira, para entrar nessa luta, “domingo vou participar da reunião e pedir ajuda desse grupo que é atuante e, sei que os casais vão se engajar nesse movimento contra o vetor da dengue”.

Ascom – Prefeitura de Primavera do Leste


HOME / NOTÍCIAS

política

Vereador Luis Costa solicita apoio do Ministério Público para o cumprimento da Lei do Sossego em Primavera do Leste


Da Redação

Há dois meses, várias pessoas entraram em contato com o vereador Luis Costa (PR), solicitando ajuda para que a situação de som alto, seja fiscalizado e punido. O fato tem ocorrido no loteamento Belvedere. Vários jovens, entre eles, menores, se organizam por um grupo de Whatsapp, marcando o horário em que irão se encontrar e também organizando a compra de bebidas alcoólicas. Estas pessoas ficam durante a madrugada, principalmente nos finais de semana, ouvindo som muito alto e ingerindo bebidas alcoólicas.

“Alguns moradores dos bairros próximos me procuraram para dizer que não tem condições de descansar durante a noite, já que são vários carros com som alto. Além da situação do som alto, essas pessoas consomem bebidas alcoólicas no local”. Explica o vereador Luis Costa.

Mas o problema não é apenas o som, é também o lixo. São garrafas de bebidas alcoólicas quebradas, jogadas pelo chão, garrafas pets, copos descartáveis, papel de balas, restos de comida, entre outros. E a situação é pior ainda porque nenhuma pessoa que participa da  reunião festiva recolhe os lixos, desta maneira, fica exposto no local, causando perigo a população, já que tem cacos de vidro, e também restos de alimento.

Diante da reclamação, Luis Costa recolheu declarações de moradores de Primavera do Leste, que estão sofrendo com a perturbação, anexou a um ofício com destino ao Ministério Público, na qual, solicita ao órgão competente, apoio para notificar a prefeitura a cumprir a lei do sossego, colocando a equipe de fiscalização do Código de Posturas para atender as denúncias.

“O MP vai solicitar que a Prefeitura atue neste caso, porque é responsabilidade do executivo a fiscalização sonora em relação à lei do sossego. Também enviei ofícios a Polícia Militar e Civil, solicitando apoio para a realização de blitz punitivas. Outros ofícios foram encaminhados para a Vara Especializada da Infância e Juventude e Conselho Tutelar, já que existem denúncias de que menores estariam no local ingerindo bebidas alcoólicas, e por fim, enviei ao executivo e ao setor de fiscalização, para que assim eles reconheçam que existe um problema e que precisa ser sanado, porque todos nós vivemos em sociedade e precisamos ser éticos e morais para respeitar o direito do próximo”. Esclarece Luis.

O legislador ressalta ainda, que em relação ao lixo deixado pelas pessoas no local, como forma de conscientização, a sugestão é que se forem pegos jogando lixo em local proibido, como punição, as próprias pessoas que realizem a limpeza.

Existe uma discussão entre o poder executivo, legislativo, e alguns jovens sobre um possível local para se ouvir som alto, mas ainda não houve nenhum projeto apresentado à sociedade.