Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

A Palavra

“Rouba, mas faz”


“Rouba, mas faz” é um bordão político brasileiro que se refere ao governante que, embora sendo corrupto (e reconhecido pela opinião pública como tal), também é visto como um bom feitor, alguém que ajudou a população. A expressão foi cunhada por Paulo Duarte em depreciação ao seu adversário político e ex-governador de São Paulo Ademar de Barros, cujos cabos eleitorais respondiam às acusações de corrupção reiterando suas obras, tendo ele a usado informalmente.  Com o tempo outros políticos receberam o estigma, como o ex-governador Paulo Maluf e o ex-presidente Lula.

Nem a NASA conseguira entender o brasileiro, só mesmo estudando algumas pessoas para quem sabe termos uma definição deste dito, “rouba, mas faz”, políticos de estimação ainda são venerados por parte do povo que não importam quanto custou a obra, de onde veio, ou para onde foi o dinheiro público, que em grande partes são gastos para interesses do grupo político que está no poder, e com dinheiro de todos, beneficia os “amigos da corte” e ainda usa para desqualificar quem eles julgam ser adversários políticos, e o povo ainda falam, “Rouba, mas faz”, “nunca antes na história desta cidade teve alguém que fez tantas obras”, porém ao verificar quem ganhou a licitação da obra e os valores, podemos nos assustar com custo que todos nós pagamos e nem sempre todos vão usufruir, já ficou comprovado o apadrinhamento em obras públicas onde todos levam sua parte, espere ai, todos os envolvidos, não toda a população, porém para os bajuladores que levam a imagem do político bonitinho, legal, bem intencionado que até gosta de pobres e reforçam o coro, “rouba, mas faz”.

As últimas eleições no Brasil demonstrou a insatisfação do brasileiro com roubos e esquemas a nível de Brasil que alimenta este sistema há anos, contudo parece que a mesma sensação de justiça não chega nos municípios, pois o adesivo, “Bolsonaro” está no veículo e este mesmo cidadão descumpres leis, como por exemplo beber e dirigir, violência doméstica e em seus municípios apoiam políticos que o partido a nível de Brasil, fez um estrago na nação para alimentar o sistema que saqueia todos.

Será que o cidadão da ponta gostaria de ter uma obra de encher os olhos, ou gostaria de ter direito a saúde, educação, cirurgias, uma cesta básica ou simplesmente o básico que significaria o papel e dever do poder público para atender todos e não os amigos do rei.

O sistema é usado sem dó para atender os interesses das gestões pelo país a fora e me assusta e causa revolta, enquanto alguns que se alimentam do nosso dinheiro suado pagos através dos impostos, que não vemos voltar quase nunca em benefícios para todos, e sim para quem está próximo ao chefe, com um só objetivo, também obter os benefícios do poder.

Devemos lutar contra as grandes e pequenas corrupções, que tenhamos sede de justiça para que cumpra em todo território onde quem praticar crimes contra nosso povo, vá para cadeia. E o povo, mude este frase “Rouba, mas faz”, ou seja faz por todos e para todos sem roubar.

 

Texto opinião coluna Com A Palavra

Luis Costa  


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

Região

Risco de pegar covid-19 em Primavera é 45% maior que em Cuiabá


Apesar do maior número de casos, o risco de pegar covid-19 em Primavera do Leste (231 km ao Sul da Capital) e 45% maior que em Cuiabá. O GD analisou os dados do boletim de 1º de junho, comparando os casos confirmados nos 15 maiores municípios de Mato Grosso.

Fazem parte dessa análise Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Sinop, Tangará da Serra, Cáceres, Sorriso, Lucas do Rio Verde, Barra do Garças, Primavera do Leste, Alta Floresta, Pontes e Lacerda, Nova Mutum, Campo Verde e Juína.

Enquanto na Capital ocorre um caso a cada 770,4 habitantes, em Primavera do Leste acontece um caso a cada 530 moradores. Para se ter uma ideia, Primavera do Leste é o 10º maior município do estado, com uma população de 62.019 moradores, seguindo estimativa do IBGE para 2019.

Em terceiro lugar no ranking de maior taxa de incidência do novo coronavírus está Barra do Garças (509 km a leste), com um diagnóstico positivo para cada 774,7 habitantes. A cidade é a nona mais populosa do estado, com 56.560 moradores.

Logo em seguida vem Lucas do Rio Verde (354 km ao norte), com um caso a cada 862,2 habitantes. O município é o oitavo com maior população em Mato Grosso, que segundo o IBGE é de 65.534 moradores.

Sem contar as mortes ocorridas por covid-19, apenas na comparação da chance de se pegar a doença, o risco de transmissão do novo coronavírus é muito maior em Primavera do Leste, Barra do Garças, Lucas do Rio Verde e Tangará da Serra (1 a cada 918,1 habitantes) do que em Várzea Grande, que está na região metropolitana e tem um caso a cada 1.108 moradores.

Em Mato Grosso, a taxa de incidência da covid-19 era de um caso a cada 1.321 habitantes. No primeiro de dia de junho havia 2.636 diagnósticos positivos, para uma população de 3,4 milhões de habitantes.

Fonte: Gazeta Digital