Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

cidade

Professores querem ano letivo dado como “perdido” e expõem conversas com alunos


Por que você não fez a tarefa?” – cobra o professor pelo WhatsApp. “Porque passei a semana no sítio e cheguei hoje”, responde o aluno. “Tudo bem, faz agora”, rebate. Nisso, a menina manda uma foto, com material de limpeza ao lado, e informa que está assistindo aula, enquanto faz faxina em casa.

Corta!

Um outro professor questiona o aluno. “Você está sem acesso ao teams (plataforma usada pela Seduc para aulas virtais)?” O aluno manda print do sistema fora do ar. “Já até desisti, vou pegar apostila (outra forma de acompanhar as aulas)”. Este é o caso de um aluno considerado “excelente”, se mostrando frustrado por não ter wifi.

Corta!

“Você não me enviou as respostas?” – pergunta a professora. “To indo (sic)”, responde o aluno e, em seguida, manda duas fotos de textos escritos à mão, de lápis, impossíveis de ler.

Conversas entre professores e alunos pelo WhatsApp, da rede estadual, expõem uma série de dificuldades que têm enfrentado, nas aulas remotas devido à pandemia. Docentes afirmam, em uma avaliação realista, que o aprendizado, neste período, ficou muito comprometido, ao ponto de questionarem se o ano deveria ser validado ou não. Desde 23 de março, devido à pandemia, o governo tem ofertado conteúdo não presencial, mas apenas a partir de 3 de agosto elas passaram a ser contabilizadas no ano letivo – veja detalhes sobre o retorno das aulas e planejamento da Seduc.

Após diversos debates sobre isso, o Sintep, que é o sindicato da classe, formalizou, este mês, junto ao Governo um pedido de consideração desta verdade incômoda e que dê o ano letivo como “perdido”. Porém, de acordo com o presidente da entidade, Valdeir Pereira, a tendência é que “feche os olhos”, tanto é que a possibilidade de retorno das aulas presenciais foi discutida por diretores e representantes da Secretaria Estadual de Educação (Seduc), em reunião por webconferência, esta semana, na quarta (23). “É a política do faz de conta”, critica o sindicalista.

 

aulas remotasSegundo ele, os alunos das diversas  séries não assimilaram, de forma coletiva, o que preveem as diretrizes curriculares. Além disso, apesar da classe estar trabalhando demais, exausta e estressada com tantos contratempos, os resultados são preocupantes.

Muitos problemas

Professora de História da Escola Estadual João Briene de Camargo, no bairro Lixeira, em Cuiabá, Marivone Pereira, é também vice-presidente do Sintep, na sub-sede da Capital. Ela ressalta que, além do problema tecnológico – de acesso limitado a computador e celular e a internet estável e rápida – tem ainda a questão econômica, que impactou muito no ensino-aprendizagem.

Como ela leciona no Ensino Médio, maioria dos alunos é adolescente e teve que trabalhar, nesta pandemia, para ajudar em casa.

Diante de todas essas questões, notou imenso esvaziamento das salas.

“Fala-se em um terço de presença em sala (virtual), mas nas minhas turmas não verifiquei nem isso na prática, não dá nem 30%”.

Com o Enem se aproximando, vê enorme desigualdade na disputa por vagas nas universidades entre alunos da rede pública e privada. E lamenta o processo excludente dos que frequentaram poucas aulas, usando muitas vezes dados móveis, saindo da aula quando acaba o crédito, sem sistema para uma plataforma pesada.

As aulas dela transcorrem mais pelo WhatsApp, do que pela plataforma ou através de apostilas. Alunos da zona rural, segundo resalta, estão mais prejudicados ainda.

Para ela, a avaliação da apredizagem irá passar por todas essas problemáticas.

“Sabemos que a pandemia exige o isolamento social e que as aulas remotas são necessárias, mas o que queremos é que os gestores reflitam sobre essa situação, nesse prejuízo educacional”, diz Marivone.

Alunos especiais, um drama a mais

A artesã Beyza Aparecida, 39, é mãe de um rapaz que está no 3º ano do Ensino Médio. Ele é cego. Nasceu prematuro e com 4 meses de idade veio o diagnóstico oftalmológico. Desde então, ele vem tendo o desenvolvimento escolar normal. Agora, com as aulas remotas, o processo para ele tem um agravante. Precisa de apoio de alguém para ler textos e outras informações repassadas, senão fica perdido. Antes da pandemia, a mãe o levava à escola, trabalhava e tirava a tarde para ajudá-lo. “Minha rotina mudou e a dele também. Vamos levando, mas ele não quer fazer Enem, não se sente preparado. Medo de chegar na hora da prova e se frustrar”.

Faltam professores

Outro problema que se soma a tudo isso é a falta de professores. O déficit, que de acordo com o Sintep é de 1500 vagas abertas, ocorre porque, em ano eleitoral, fica vetada a contratação, seis meses antes, seis meses depois, do pleito.

Em uma escola estadual da região Sul, diretora assegura que está sem 5 professores e isso tem dificultado tocar as aulas normalmente com toda essa vacância.

Presidente do Sintep, Valdeir Pereira, critica isso e diz que ou é falta de organização ou má fé, para economizar dinheiro, em cima dessa questão.

Rodinei Crescêncio

Marioneide Kliemaschewsk
Secretária Marioneide acredita que seja possível recuperar tais perdas

Outro lado

Em vídeo exposto no youtube de reunião feita com diretores da rede estadual a secretária Marioneide Kliemaschewsk reconhece que a aprendizagem ficou comprometida este ano. “A pandemia nos trouxe uma realidade diferente, necessidades diferentes, diante das inúmeras limitações, não conseguiremos desenvolver a mesma aprendizagem, que dito em ano normal, o que na realidade isso já não vem acontecendo desde 2018, porque 2019 também não foi um ano normal, decorrente da greve, e 2020, da pandemia. Ou seja os desafios que veem pela frente com relação à recuperação da aprendizagem são imensos”.

Porém em resposta ao , nega “caos no ensino remoto” e descarta totalmente considerar o ano perdido. “É importante entender que a pandemia nos trouxe para um momento de reflexão para os valores da vida e o primeiro valor da vida é a própria vida”.

A secretária diz ainda que “caos” seria perder vidas de alunos para Covid e alega que haverá um grande plano para retomada das aulas, com aval das autoridades da saúde. Perdas na aprendizagem serão, segundo ela, recuperadas.

RD News


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

A Palavra

7 lições que tornarão sua vida melhor


Veja o que especialistas tem a dizer sobre esse assunto

Terminar geralmente é extremamente difícil e doloroso. No entanto, há muitas lições de vida a serem aprendidas quando isso acontece.

Ouça, eu tive a minha cota de experiências de separação. Eu fui largado e despedi outros. Deixe-me dizer-lhe, nenhum deles foi tão divertido. Alguém sempre será ferido de uma forma que nunca esquecerá. Mas você sabe que, a cada vez que isso acontece, você aprende algo novo.

Uma união imperfeita

Os relacionamentos nunca são perfeitos, pois aqueles que são parceiros nesta união também são imperfeitos. Em cada relacionamento, surgirão problemas. Talvez no primeiro ano, haverá uma fase de lua de mel, mas depois disso, cuidado! Então há aqueles sindicatos que simplesmente não duram.

Eventos dolorosos às vezes destroem relacionamentos. Quando a relação acabar, você pode olhar para trás e ver o que deu errado. Você pode coletar informações com novos olhos, agora que a pressão para se adaptar um ao outro se foi.

Dê uma olhada nessas 7 lições de terminar.

Essas lições com dor, mas elas lhe ensinarão muitas coisas sobre si mesmo e sobre a vida.

1. Nunca deixe ninguém roubar seu orgulho.

Embora os sentimentos de amor sejam fortes, você nunca deve deixar ninguém intimidar ou menosprezar você em um relacionamento. Abuso físico e emocional deve ser uma boa razão para acabar com uma união porque essas coisas não são saudáveis.

Você não é um pedaço de carne, você é uma pessoa. Seu orgulho importa e você nunca deve tolerar qualquer tipo de humilhação ou abuso de seu parceiro. Você vai entender isso quando o relacionamento terminar, embora, durante a duração da união, você possa deixar as emoções assumirem o pensamento racional.

Terminar pode ajudá-lo a ter juízo.

2. Você aprenderá coisas boas e ruins sobre si mesmo.

Há coisas que acontecem durante relacionamentos que fazem você agir temporariamente fora do personagem. Estou aprendendo isso enquanto crescia. Eventualmente, você vai fazer algo que simplesmente não faz sentido, e por quê?

Porque você é imperfeito e a vida pode ser difícil às vezes. À medida que comete erros, aprenderá coisas sobre si mesmo que não sabia. Algumas dessas coisas serão muito feias, enquanto algumas podem ser surpreendentemente positivas. Nesse sentido, há muitas dúvidas que as pessoas têm em relacionamentos, universo sugar é uma alternativa viável para muitas delas em alguns casos, e em outros não.

De qualquer forma, quando o relacionamento terminar, você será capaz de ver coisas que aconteceram muito mais claras do que durante a provação. É lamentável acabar com uma união, mas tem suas maneiras de revelar coisas importantes.

3. Ninguém é exatamente o que você pensa que eles são.

Durante seus primeiros meses de relacionamento, você vê seu parceiro através de “óculos cor de rosa”. Isso significa que você se vê muito neles e não consegue ver os aspectos negativos. Em muitos casos, eles escondem bem o lado ruim.

À medida que o relacionamento continua, cada vez mais traços negativos começam a surgir e você pode se sentir enganado. Em primeiro lugar, isso é normal. Acontece em cada relacionamento e te leva a querer mudar a outra pessoa, mas não muda.

A verdade é que ninguém é o que parece ser no início. A maioria das pessoas são profundamente defeituosas e devem ser tomadas por quem são e não pela fachada que você encontrou durante os primeiros meses do relacionamento. Quando você terminar, você aprenderá este fato e será capaz de se lembrar disso para o próximo encontro.

4. “O único” pode não existir.

Não vou dizer que almas gêmeas não são reais. Eu não sei se isso, mas o que eu sei é que esses sentimentos iniciais de romance vão desaparecer. Sim, o amor existe, mas essa união perfeita com a qual você sonha pode não ser tão real quanto você quer que seja. Em vez disso, os relacionamentos dão muito trabalho

Se o relacionamento terminar, você vai aprender que mesmo o que você pensou que era “o único” não era. Mesmo esse estado de romance aumentado desapareceu e você não foi capaz de manter a união unida. Aprenda com isso e tenha expectativas mais realistas do seu companheiro na próxima volta.

5. Aceitar rejeição.

Não importa o quanto tente, às vezes você ainda será rejeitado. Algumas pessoas não querem você, e você deve aceitar este fato para seguir em frente. No momento do término, você será forçado a aceitar este fato rapidamente e vai doer muito.

Você tem que chegar a um ponto onde você aceita as diferenças entre você e seu parceiro que podem levar a uma divisão. Às vezes, os valores e a moral entre vocês dois serão diferentes e alguns deles não podem ser comprometidos.

Chega uma hora em que você tem que parar de tentar e seguir em frente. Términos têm uma maneira de convencê-lo deste fato.

6. Aprenda com as lições difíceis.

Há tantas lições a serem aprendidas com relacionamentos. Se você está conhecendo pessoas nos mesmos lugares e sempre se separando, você pode precisar frequentar novos lugares para variar. Se você está cometendo os mesmos erros em cada relacionamento que leva a um término, então talvez você precise examinar o que você quer de um parceiro.

Pare de fazer as mesmas coisas e espera um resultado diferente. Você só vai ter dor no coração uma e outra vez. Use suas experiências negativas para mudar a maneira como você vê as coisas e certamente você pode dar ao próximo relacionamento uma chance de lutar!

7. Aprenda a superar a dor e vá em frente.

Términos machucam e são assustadores, mas nunca deixam isso te conter de sua felicidade futura. Há felicidade lá fora se você continuar tentando. Aprender com as lições será a ajuda que você precisa para superar essa dor, por mais difícil que seja.

Então havia esperança

Terminar não é fácil, mas tem seus pontos positivos. A chave é aprender com esses fracassos e seguir uma vida digna de seu amor e devoção. Para se tornar melhor, você deve sempre continuar aprendendo. Confie em mim, você vai ficar bem e a vida continuará.

Fonte: Pauta com Recorde clicks


HOME / NOTÍCIAS

Polícia

Vereador Luis Costa aciona corregedoria da polícia para investigar vazamento de Boletim de Ocorrência e lamenta Fake News sobre sua vida pessoal


Site financiando pela prefeitura de Primavera do Leste com a concordância do prefeito Leonardo, criado com a intensão de difamar quem questiona os desmandos da gestão.

Da Redação

O advogado Daniel Ramalho, que faz parte da equipe jurídica do vereador Luis Costa (PDT) de Primavera do Leste divulgou um vídeo informando a situação do caso ocorrido envolvendo o nome do vereador e de sua família.

Informou-se que o vereador Luis Costa como a senhora Rosilene Braz registrou um boletim de ocorrência para relatar um desentendimento de casal, o que ocorreu é que o registro era segredo de justiça e por se tratar da vida de uma família, não era permitido expor a situação.

Porém algum funcionário da polícia vazou o Boletim de Ocorrência para a mídia e desta forma foi construída uma notícia falsa sobre a vida de ambos. O vereador Luis Costa não cometeu em nenhum momento de sua vida pessoal ou conjugal, agressão física, e trata-se apenas de uma situação em que envolve conduta particulares de um casal, e que deveras, nunca em nenhum momento ter expandido para a sociedade de primavera do leste.

“Porém essa situação ocorreu por meio de uma armação de uma série de pessoas, já premeditadamente com o intuito de prejudicar nosso vereador, mas saibam vocês que isso já está sendo investigado, que medidas extremas serão tomadas, e todas elas dentro da legalidade. Nós não vamos abrir mão de nenhuma para que a sociedade de Primavera do Leste possa ter a consciência e a certeza que o vereador Luis Costa é um parlamentar honesto e digno, como também é um homem de caráter e que merece respeito e não vai ser uma ou duas situações que vai derrubar o vereador.” Afirma o advogado Daniel Ramalho.

“Existe uma armação de pessoas que são ligadas a prefeitura com cargos de confiança, e que também são ligadas a outros poderes de forma efetiva. Sabemos que existem convênios que a prefeitura mantém com a segurança pública de nossa cidade, como por exemplo, aluguéis, porém diante disso, sabemos que o município é parceiro e precisa apoiar a segurança pública, mas nunca jamais isso pode ser confundido como algo que favoreça as partes, pois é preciso ser imparcial. Toda essa situação que estou passando será investigada e os culpados serão penalizados”. Conclui o vereador Luis Costa.