Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

cidade

Primavera do Leste recebe show e oficinas de Billy Espíndola, criador da “Guitarra de Cocho


Primavera do Leste recebe todo o balanço e a irreverência de Billy Espíndola nesse sábado (27). Além do show de lançamento do seu primeiro álbum, viabilizado por meio do edital Circula MT, da Secretaria de Estado de Cultura, o músico vai ministrar oficina sobre regulagem de instrumentos de cordas e também ensinar sobre a construção de instrumentos alternativos.

A consistência do rock aliada ao regionalismo da viola de cocho são as principais marcas do artista, criador da guitarra de cocho. No disco que marca sua estreia em carreira solo, Billy apresenta um resumo cuidadosamente selecionado do trabalho que vem desenvolvendo ao longo dos últimos anos, e como não podia deixar de ser, traz as primeiras gravações da guitarra de cocho.

O Show é neste sábado (27) no Circuito do Rock, na Praça Adão Donin, bairro Primavera II, a partir das 20h. As atrações ficam por conta das bandas TERRA PARALELAS e OS ULTRA SECRETOS de Primavera do Leste e BILLY ESPÍNDOLA, de Cuiabá. Billy Espíndola participa do Circuito do Rock pelo Edital Circula MT do Governo do Estado de MT. Mas, as atividades começam no período da tarde, às 14h, com a oficina de regulagem e manutenção de instrumentos de cordas (violão, guitarra e contrabaixo), para quem quer aprender a cuidar e manter o instrumento bem regulado.

Para participar é preciso se inscrever pelo link (https://goo.gl/forms/lC2jBVK5rjeRrxFk1) até a meia noite de sexta-feira, 26, e comparecer ao local da oficina com o instrumento, um jogo de cordas novo, uma escova de dentes usada e uma flanela. A atividade dura aproximadamente uma hora e o limite é de 20 participantes.

Dando continuidade à oficina, o músico vai falar sobre a criação de instrumentos alternativos. Na ocasião, também será exibido o premiado documentário. “O nascimento da guitarra de cocho”. Todas as atividades são gratuitas, sendo necessário confirmar a participação apenas para a oficina.

 

Serviço Oficina: Início às 14h, na sede da Secretaria de Cultura: rua Curitiba, n 444, terceiro andar, Centro.

Show: Início às 23h no Circuito do Rock, na Praça Adão Donin, bairro Primavera II.

Entrada gratuita

Assista o novo clip de Billy Espíndola: www.youtube.com/watch?v=iJJJ-7NH6pY

Da Assessoria


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

política

Neri Geller, deputado federal eleito, deixa a prisão depois de HC concedido pelo STJ


Neri Geller (PP) solto na segunda-feira (12) — Foto: TVCA/Reprodução

Neri Geller (PP) solto na segunda-feira (12) — Foto: TVCA/Reprodução

O deputado eleito, Neri Geller (PP) foi solto no início da noite desta segunda-feira (12), após o Superior Tribunal de Justiça (STJ) acatar o pedido de habeas corpus impetrado pela defesa do e ex-ministro da Agricultura Pecuária e Abastecimento no domingo (11). Geller estava preso desde a última sexta-feira (9), em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá.

Ao ser solto, o ex-ministro concedeu entrevista à equipe de reportagem da TV Centro América. Ele negou as acusões e disse que não é indiciado, apenas teve o nome citado em uma delação.

“Não fui chamado para depor em nenhum momento das investigações e vou me inteirar das acusações e depois vou manifestar junto à imprensa”, disse.

O deputado eleito disse ainda que algumas pessoas que estão sendo acusadas de corrupção foram desafetos políticos dele durante o tempo em que foi ministro.

As investigações foram baseadas na delação do doleiro Lúcio Funaro, apontado como operador do MDB. Foram presos na ação Antônio Andrade (também ex-ministro da Agricultura), Rodrigo Figueiredo (ex-secretário de Defesa Agropecuária do Mapa, que já conseguiu liberdade), o empresário Joesley Batista e mais 13.

Ex-ministro diz que nunca foi chamado para depor — Foto: TVCA/Reprodução

Ex-ministro diz que nunca foi chamado para depor — Foto: TVCA/Reprodução

A prisão

O ex-ministro foi preso durante a Operação Capitu, por suposto envolvimento em um esquema de corrupção no Ministério da Agricultura entre 2013 e 2014 e é um desdobramento da Lava Jato.

Neri Geller estava hospedado em um hotel de Rondonópolis porque participaria de um evento agropecuário. Por volta de 6h, três agentes da Polícia Federal (PF) chegaram ao local em carro descaracterizado e o levaram em cumprimento a um mandado de prisão temporária.

Após a prisão, Geller foi levado para a delegacia da PF e, posteriormente, encaminhado para a Penitenciária Major Eldo de Sá Corrêa, a Mata Grande, por não ter nível superior.

Fonte: G1 Mato Grosso