Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

cidade

Prefeitura de Primavera inaugura 1º ponto de ônibus do país, fechado, com wi-fi e tomadas para recarregar celular


A Prefeitura de Primavera do Leste tem priorizado mecanismos que possam embelezar a cidade, oferecer qualidade de vida e conforto para a população usando o modelo de gestão público-privada – com essa proposta foi inaugurado hoje pela manhã, 15, o primeiro ponto de ônibus tecnológico, coberto, com tomadas para recarregar celular e sinal de wi-fi grátis. É o primeiro ponto de ônibus fechado do Brasil e tem como referência o modelo de Abu Dhabi.

Para o prefeito Léo Bortolin, é necessário e urgente modernizar os serviços públicos e, através do projeto Eu Amo Primavera, que envolve a iniciativa privada e o poder público foi possível construir essa estrutura, “a parceria com o Sicredi nos permitiu avançar nesse sentido, a população, em sua grande maioria, ainda usa os serviços públicos de transportes e, nosso foco é o bem estar da população”.

Além desse ponto de ônibus com a estrutura de primeiro mundo, outros 14 abertos foram construídos em diversos bairros para atender uma cidade que cresce acima da média e recebe famílias de todas as partes do Brasil. Léo entende que esse crescimento exige atenção especial dos gestores em áreas distintas como Educação, Saúde e, Infraestrutura, “que muitas vezes fica relegada a segundo plano, mas em Primavera a administração é plural e, a infraestrutura é também nossa prioridade”.

O representante do Sicred, Milton Afonso, afirmou que a cooperativa é parceira na construção de uma cidade com mais qualidade de vida. “Estamos dispostos a continuar com parcerias para resolver parte dos problemas de Primavera do Leste, proporcionando mais conforto e acessibilidade à população”.

Para o secretário Eduardo Wolff, ações simples como essas mudam o município. “Temos trabalhado com esse objetivo e em tempo recorde estamos desenvolvendo trabalhos que tem transformado a imagem visual de Primavera”. Miley Alves, presidente da Câmara Municipal, na oportunidade, salientou a satisfação de ver a cidade despontando e se tornando um lugar dinâmico e moderno.
Participaram da inauguração secretários municipais, colaboradores do Sicredi, vereadores e membros da sociedade civil.

Da Assessoria


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

política

Neri Geller, deputado federal eleito, deixa a prisão depois de HC concedido pelo STJ


Neri Geller (PP) solto na segunda-feira (12) — Foto: TVCA/Reprodução

Neri Geller (PP) solto na segunda-feira (12) — Foto: TVCA/Reprodução

O deputado eleito, Neri Geller (PP) foi solto no início da noite desta segunda-feira (12), após o Superior Tribunal de Justiça (STJ) acatar o pedido de habeas corpus impetrado pela defesa do e ex-ministro da Agricultura Pecuária e Abastecimento no domingo (11). Geller estava preso desde a última sexta-feira (9), em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá.

Ao ser solto, o ex-ministro concedeu entrevista à equipe de reportagem da TV Centro América. Ele negou as acusões e disse que não é indiciado, apenas teve o nome citado em uma delação.

“Não fui chamado para depor em nenhum momento das investigações e vou me inteirar das acusações e depois vou manifestar junto à imprensa”, disse.

O deputado eleito disse ainda que algumas pessoas que estão sendo acusadas de corrupção foram desafetos políticos dele durante o tempo em que foi ministro.

As investigações foram baseadas na delação do doleiro Lúcio Funaro, apontado como operador do MDB. Foram presos na ação Antônio Andrade (também ex-ministro da Agricultura), Rodrigo Figueiredo (ex-secretário de Defesa Agropecuária do Mapa, que já conseguiu liberdade), o empresário Joesley Batista e mais 13.

Ex-ministro diz que nunca foi chamado para depor — Foto: TVCA/Reprodução

Ex-ministro diz que nunca foi chamado para depor — Foto: TVCA/Reprodução

A prisão

O ex-ministro foi preso durante a Operação Capitu, por suposto envolvimento em um esquema de corrupção no Ministério da Agricultura entre 2013 e 2014 e é um desdobramento da Lava Jato.

Neri Geller estava hospedado em um hotel de Rondonópolis porque participaria de um evento agropecuário. Por volta de 6h, três agentes da Polícia Federal (PF) chegaram ao local em carro descaracterizado e o levaram em cumprimento a um mandado de prisão temporária.

Após a prisão, Geller foi levado para a delegacia da PF e, posteriormente, encaminhado para a Penitenciária Major Eldo de Sá Corrêa, a Mata Grande, por não ter nível superior.

Fonte: G1 Mato Grosso