Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

geral

Prefeito cobra mais UTIs do governo e ameaça arrochar medidas restritivas


O prefeito Zé Carlos do Pátio (SD) deu um ultimato ao governador Mauro Mendes (DEM). Disse que irá tomar medidas mais drásticas em Rondonópolis (a 212 km de Cuiabá), caso não tenha apoio para aumentar o número de leitos de UTIs. O município é o terceiro mais populoso de Mato Grosso e, igualmente, o terceiro em número de infectados com coronavírus, com 172 casos, sendo 9 mortes. “Nós vamos tomar atitudes limites. A situação está ficando crítica”.

Em coletiva virtual na manhã de hoje (3), Pátio criticou Mauro por inaugurar 120 leitos de UTIs em Cuiabá, e dar somente 10 para Rondonópolis. Disse que, para o sistema da cidade, que também atende a região sul do estado, o município tem uma população equivalente a da Capital. “Não dá para tratar Cuiabá diferente. Hoje, nós somos uma Cuiabá”, compara o prefeito.

Como antecipação as novas medidas, o prefeito proibiou estabelecimentos comerciais de funcionar depois das 22h. Também institutiu que bares e restaurantes não funcionem aos sábados e domingos. Além disso, determinou que as empresas da cidade que, caso tenha um funcionário diagnosticado com a Covid-19 (a doença casuada pelo coronavírus), pague para que todos os demais trabalhadores passem por exames.

Informa que tem uma lista com 32 empresas onde há funcionários com a Covid-19 e que, se em 24h não pagar exames para todos seus trabalhadores, serão fechadas por sete dias.

O apelo do prefeito vêm depois de analisar a taxa de ocupação dos leitos na cidade. Na live, Pátio disse que cerca de 70% das UTIs dos hospitais privados já estão ocupados com pacientes com a Covid-19. No setor público, a porcentagem se aproxima dos 50%. Rondonópolis tem 32 leitos públicos, sendo 10 na UPA, 10 no Hospital Geral e 10 na Santa Casa, além de mais 2 contratados pelo SUS no particular.

Para Pátio, a quantidade de leitos é pouca. Teme o colapso do sistema de saúde da cidade que, a partir do momento que as UTIs privadas estejam 100% ocupadas, os públicos atuais não deem conta. “Se continuar nessa trajetória, num crescimento acentuado de pessoas infectadas, nós não teremos leitos de UTI para atender a nossa demanda”.

Também não sobrou para os prefeitos das cidades vizinhas. Na coletiva, criticou abertamente o prefeito de Primavera do Leste, Léo Bortolin (MDB) , por abrir o comércio. Disse que muitos doentes em estado grave do município são atendidos em Rondonópolis.

Disse também que a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, se comprometeu a ajudar o municípo com UTIs e respiradores. Apesar de dizer que defende uma harmonia entre a economia e a vida, o prefeito disse que vai escolher a segunda ao invés da primeira. As medidas de restrição do comércio e de exame obrigatórios em empresas devem ser publicados em decreto.

RD News / Allan Pereira


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

política

Pedido de cassação de Luis Costa é arquivado após vereador citar perda prazo da conclusão de processo


Da Redação

Em sua 2º legislatura, eleito pelo povo, o vereador Luis Costa (PDT) se posiciona a favor das políticas públicas que favorecem o povo. É incisivo em dizer que não tem lado político, e que sempre lutará pelos diretos dos cidadãos primaverenses. Diante das inúmeras denúncias realizadas, sendo, contrário há algumas condutas da gestão municipal, e a atuação de alguns profissionais liberais que trabalham de forma indireta com grupos políticos, Luis tem deixado algumas pessoas incomodadas.

 

Recentemente um advogado que atuou frente a gestão municipal sentiu-se ofendido e requereu a cassação do mandato do vereador Luis Costa, que segundo o advogado, o legislador se referiu ao profissional de forma pejorativa. O pedido foi para o plenário e desta forma a maioria dos pares votou pela abertura da Comissão Processante (CP) para investigar a conduta do vereador.

 

Durante a última sessão ordinária (18/10), o relatório concluído da CP do vereador Luis Costa foi para a pauta, na qual, antes da leitura da CP, Luis Costa citou em tribuna o artigo 71 do Regimento Interno dizendo sobre os prazos. Após sua fala, o presidente da Casa de Leis, durante a leitura do projeto da CP, citou um requerimento do próprio advogado que solicitou a abertura da Comissão, e nesta ocasião, o documento consta a não continuidade em relação ao objetivo principal da CP, em que, solicita a cassação do vereador. Diante dos fatos o presidente da Casa de Leis, decidiu-se por acatar a questão de ordem e retirou de pauta o parecer da comissão e determinou o trancamento da presente denúncia.

 

“Eu quero agradecer a Deus em primeiro lugar, pois se estou aqui é graças e ele que me concedeu este lugar. Quero agradecer aos amigos e família, pois cada um esteve comigo em vários momentos. Antes de iniciar a leitura do processo de cassação eu já tinha mencionado a situação da perca dos prazos, mas independentemente da situação quero aqui agradecer também aos colegas vereadores que disseram que votariam ao meu favor. Estamos em uma briga política, em que a situação não é apenas o meu cargo político e sim a minha família e a minha luta contra a corrupção. Pois existem pessoas como o advogado Dr. Claudiomar que está agora atuando para minha ex-mulher e tem tentado de todas as maneiras me atingir. Uma tentativa foi o bloqueio das minhas redes sociais. Quero dizer que não vão conseguir me calar, pois minha luta é pelo bem e contra a corrupção e continuarei trabalhando forte e firme, pois eu tenho Deus e sei que estou no caminho certo”. Descreve Luis Costa.