Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

A Palavra

Por que os jovens de hoje só pensam em beber? 50 mil jovens morrendo no trânsito por causa da bebida.


Eu não sei quando isso começou. Algo me diz que foi há 10 anos, quando eu estava prestes a concluir o ensino médio. Há quem diga que no fundo as coisas sempre foram assim. Mas o fato é que aconteceu e de repente a grande maioria dos caras e também das meninas da minha geração começaram a considerar como principal razão e conquista da vida nada mais que consumir bebida alcoólica.

Em uma progressão contínua, de repente todos passaram a se orgulhar em beber e beber muito. Fotos de latas de cervejas empilhadas ganham repercussão desmedida nas redes sociais. Nos grupos de Whatsapp criados para reunir as galeras da época do colégio, muitas pessoas orgulham-se de estar tomando uma naquele momento e parece existir uma espécie de disputa velada para ver quem se destaca quando o assunto é álcool. Ninguém se interessa pela vida um do outro, ninguém está interessado em compartilhar conquistas, sendo que a única conquista possível é justamente encher a cara.

Existe sentido na vida para além do copo cheio

Tem outros troféus além de ser o que mais empilha latinhas vazias

Obviamente esse texto não se trata de algo escrito por um crente legalista que repudia o menor contato com a bebida alcoólica. Pelo contrário, apesar de ter tomado uma decisão pessoal de não beber, tenho a lucidez teológica e espiritual necessária para entender que as bebidas alcoólicas fazem parte de um grupo de bebidas, onde muitas outras são inclusive muito mais prejudiciais à saúde, como por exemplo os refrigerantes. Sim, há pessoas que consomem bebidas alcoólicas porque curtem o sabor e  são apreciadores, e jamais fazem disso um troféu ou o único assunto sobre o qual conseguem falar.

Dito isso, preciso retornar ao meu assunto inicial.  A minha geração tornou-se um sem número de jovens que só pensam em beber. As motivações para isso, penso eu, são inúmeras. Entre elas, o já famigerado desejo de aceitação social, a desilusão com a vida e a falta de coragem de admitir sua dificuldade de ser, conforme falou Paul Tilich.

Antigamente, consumir bebida alcoólica até ficar doidão era sinal de masculinidade. Hoje, é sinal de ser descolado, por isso até as mulheres o fazem

Os nerds, os quietos, os estranhos, os excluídos, entre outras minorias presentes no colégio se transformaram em pessoas incluídas a partir do momento em que fizeram de suas vidas algo parecido com a dos descolados, bonitões, esportistas e etc. Isso significa que ambos se reúnem diante de uma mesa para tomar cerveja.  Não obstante, encontra-se o fato dessa geração ser desiludida com a vida. Também pudera, as instituições políticas faliram de vez, as religiosas encontram-se no século passado, empreender no Brasil é quase impossível e assinar um contrato de trabalho é quase como assinar um tratado de escravidão. Poderia restar-lhes o amor, mas são igualmente desiludidos nessa área, diante das decepções e também do receio que permeia a mente ao ver o fracasso do casamento dos pais e parentes próximos. Enfim, resta-lhes o bar.

Sobre o assunto, a maioria deles disfarça ao serem questionados sobre a razão de tanta bebedeira. A tangente para sair é o humor ou a auto depreciação exagerada e embalsamada de ironia. Do alto de seus 20 e poucos gritam, para ver se o barulho da voz disfarça o tamanho da vergonha do fracasso.  Diante disso, parece não mais existir esperança de mudança. De fato,  enquanto a desesperança for a rainha, os bobos da corte serão movidos a álcool.

A vida pode ser mais 

No entanto, ainda pode existir uma mudança a partir daqueles que perceberem que de repente encher a cara não é a coisa mais extraordinária da vida. Isso porque, no fundo, no fundo, ninguém quer um marido/esposa beberrão, e filho nenhum merece fazer terapia aos 12 anos por sofrer com pais alcoólatras.

Não é papo de crente. Ou é, mas não com aquela velha intenção de simplesmente fazer mais um prosélito. A questão é que sem beber para ficar bêbado, também é possível se divertir. É claro, um pouco menos desinibido, mas com diversão sim. Os benefícios para o corpo a curto e médio prazo são provados e comprovados pela ciência. Ademais, cerca de 50 mil brasileiros morrem por ano em acidentes relacionados ao abuso de álcool, mais ou menos o mesmo número de soldados mortos na Guerra do Vietnam.

50 mil jovens morrendo no trânsito por causa da bebida. Mas ninguém liga!

Por fim, faço um apelo a toda essa geração que só vê sentido na vida se ela for regada a bebida alcoólica. E digo que não, o apelo não é para que parem de beber. Seria muita pretensão e proselitismo barato. Mas a intenção é que mude sua forma de se relacionar com a bebida. O Dr. Dráuzio Varela diz que quem bebe ocasionalmente possui um repertório amplo e diversificado de atividades que lhe proporciona prazer. Essa pessoa corre, lê, vê televisão, vai ao cinema, faz esporte, etc. Portanto, aconteça o que acontecer, encontre um sentido para sua vida que vá para muito, muito, muito além da bebida alcoólica.

Ou esqueça tudo o que leu e seja pra sempre um grande fracasso!

Texto.L 


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

Brasil

Sisu 2019 abre inscrições nesta terça; tire suas dúvidas e saiba como funciona


Página inicial do Sisu — Foto: Reprodução

Página inicial do Sisu — Foto: Reprodução

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) abriu as inscrições nesta terça-feira (22) aos candidatos que desejam disputar uma vaga nas universidades públicas participantes. Por meio da nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), serão selecionados 235.461 estudantes para 129 instituições.

É possível se inscrever até sexta-feira, dia 25.

Abaixo, veja as principais dúvidas sobre o Sisu:

Quem pode participar do Sisu?

Para participar, é necessário ter feito o Enem 2018 e tirado nota acima de zero na redação. Os resultados individuais do exame foram divulgados na última sexta (18) e podem ser consultados na página do participante. Basta digitar o CPF e a senha cadastrada no sistema.

Para que serve o Sisu?

O Sisu oferece 235.461 vagas em diversas universidades públicas. Deixa de ser necessário fazer um vestibular para cada uma – por esse sistema, o candidato usa a nota do Enem para pleitear uma vaga nas 129 instituições de ensino participantes.

Como funciona?

O Sisu é um sistema que usa a nota do Enem para selecionar alunos que desejam estudar em universidades públicas do país. Ele funciona assim:

  • a partir do dia 22 de janeiro, o candidato deve entrar no site do Sisu (http://sisu.mec.gov.br/)
  • na página do sistema, é possível fazer uma busca por universidade, curso ou município. Por exemplo: “odontologia” em “Curitiba”. O sistema exibirá todas as instituições na capital paranaense que dispõem de vagas nessa graduação.
  • o candidato deve escolher duas vagas para disputar e confirmar a inscrição para elas. Atenção: é preciso indicar a ordem de preferência.

Feito isso, o ideal é que o candidato fique atento até sexta-feira, dia 25, quando o sistema fechará as inscrições. É possível mudar as opções de curso no decorrer da semana, com base nas notas de corte parciais que são divulgadas.

O que são essas notas de corte?

O Sisu divulga, uma vez por dia, uma nota de corte parcial para cada modalidade e curso. Ela é uma referência para ajudar o estudante a se inscrever em uma opção na qual realmente tenha chances de aprovação.

Ela é calculada da seguinte forma: supondo que sejam 30 vagas de ampla concorrência no curso de educação física, na universidade X. No primeiro dia, 60 candidatos se inscrevem para essa opção. Entre eles, vão ser aprovados os que tiverem as 30 maiores notas no Enem. Ou seja: a nota de corte será a 30ª mais alta. Exemplo: 642 pontos.

Se, no dia seguinte, alunos com desempenho melhor se inscreverem, esse patamar vai subir. Por isso, é importante ficar atento e selecionar opções em que haja chance real de aprovação. Se a nota do candidato for de 450, dificilmente ele será selecionado em um curso cuja pontuação mínima seja 642. Vale procurar outra opção.

É bom repetir: a nota de corte é só uma referência. Mesmo após a última ser divulgada, na sexta-feira, outros participantes podem se inscrever até o fim do dia – o que muda a nota mínima. Consequentemente, só é possível saber se realmente foi aprovado quando os resultados forem publicados (28/01).

O que acontece se eu passar só na segunda opção?

Se o candidato for selecionado somente na segunda opção de curso, essa será sua única oportunidade de se matricular pelo Sisu. Ele não poderá participar da lista de espera.

O que acontece se eu não passar em nenhuma das opções? Participo da lista de espera?

Caso o candidato não seja aprovado, precisará manifestar interesse em participar da lista de espera. Ele deverá escolher uma das opções de curso para tentar novamente.

Cada universidade disponibilizará um determinado número de vagas com base nas que não foram ocupadas na 1ª chamada.

Por que minha nota do Enem é diferente em cada universidade?

As universidades atribuem um peso à nota de cada prova do Enem. Não basta somar o desempenho em cada componente (ciências da natureza + ciências humanas + linguagens + matemática + redação) e dividir por 5.

Por exemplo: um curso de medicina na faculdade X pode calcular uma média em que a disciplina de ciências da natureza tenha mais importância do que a de linguagens.

O que significa “ampla concorrência”?

São as vagas que não entram no sistema de cotas e de políticas afirmativas em geral.

Como participar das cotas?

Pela Lei de Cotas, todas as universidades participantes do Sisu devem reservar uma parcela das vagas para estudantes que cursaram o ensino médio na rede pública. Dessas, metade será destinada a candidatos com renda familiar mensal por pessoa de até 1,5 salário mínimo.

As instituições têm o direito também de criar ações afirmativas próprias. Podem, por exemplo, dar um bônus na nota de candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas.

Mesmo me inscrevendo no Sisu, posso participar do Prouni?

O candidato inscrito no Sisu também pode fazer a inscrição no Programa Universidade para Todos (Prouni), caso atenda aos critérios do programa. Se for aprovado em ambos, deve escolher somente uma opção.

Não é permitido que um aluno do Sisu estude simultaneamente em uma universidade particular pelo Prouni.

Calendário do Sisu 1º semestre de 2019

  • Inscrições: 22/1 a 25/1
  • 1ª chamada: 28/1
  • Matrículas da 1ª chamada: 30/1 a 4/2
  • Inscrição na lista de espera: 28/1 a 4/2
  • Convocações de outras chamadas: a partir de 7/2

Fonte: G1 Mato Grosso