Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

Polícia

Polícia Civil concluirá inquérito que envolve vereador na próxima terça


Da Redação

Durante coletiva de impressa realizada na tarde de hoje (17), o delegado responsável pelo caso, Bruno de Morais Carvalho, disse que toda a investigação está sendo realizada com total lisura. “Nós já estamos em fase de conclusão do inquérito. Coletamos depoimentos de pessoas envolvidas, materiais, também ouvimos as partes, e assim produzimos muita prova. Não tivemos problema nenhum no decorrer das investigações. Em nenhum momento houve intervenção política e de nem outro poder. Estamos fazendo um trabalho sério e ético”.

O delegado chegou a expedir o pedido de prisão preventiva para o vereador envolvido no caso, mas o judiciário negou. “O vereador envolvido no caso, se apresentou a Polícia e assim coletamos o seu depoimento. O caso corre em sigilo. Após a conclusão iremos enviar o inquérito para o Poder Judiciário”.

O Juiz, Alexandre Delicato Pampado, negou o pedido de prisão, expedido pelo delegado responsável pelo caso que envolve o  vereador Josafá Martins Barbosa, por entender que se trata de uma pessoa pública, e ter endereço fixo e ocupação lícita, sendo assim, poderá responder o processo em liberdade.

Entenda o Caso

O vereador Josafá Barbosa (PP), foi indiciado na segunda (15) pelos crimes de estupro de vulnerável e circulação de moeda falsa.

O suposto ato sexual teria ocorrido no domingo (14), mas veio à tona quando a vítima tentou gastar os R$ 100 em um supermercado. O comerciante constatou que a cédula era falsa.

A PM foi acionada e conduziu a adolescente à Central de Flagrantes. Durante o depoimento, ela revelou que o dinheiro falso era o pagamento pela relação sexual com Josafá Barbosa. Após o registro da ocorrência, o caso foi encaminhado para a delegacia de Primavera do Leste, onde corre o inquérito sigiloso para aprofundar as investigações.


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

política

Vereadores ouvem reivindicações de trabalhadores contra a empresa CityBus


Luis Costa prepara pedido de CPI para investigar a empresa

Da Redação

A comunidade tem reclamado das condições de uso do transporte coletivo de Primavera do Leste, e desde o ano passado o vereador Luis Costa (PR) começou a levantar dados necessários para investigar a situação. Em novembro o legislador acompanhou o trajeto do bairro Primavera 3 até o centro, e viu que a situação não é nada boa, pois existe a super lotação. Diante desta perspectiva e das reclamações que vem chegando ao gabinete do vereador e também a Casa de Leis, Luis Costa sugere que se instaure uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a empresa CityBus.

E no dia de ontem (20), o legislador, juntamente com os colegas Carlos Venâncio (PSD) e Carmem Betti Borges (PSC), participaram da assembléia geral dos trabalhadores da Granja Mantiqueira e na oportunidade, ouviram os trabalhadores de Primavera do Leste e os que moram em Poxoréu, sobre as condições do transporte coletivo. A empresa Granja Mantiqueira fornece apenas o valor do transporte coletivo aos trabalhadores, não tendo assim nenhuma ligação com a empresa CityBus.

“Temos apenas uma empresa de transporte coletivo em nossa cidade que é a CityBus, e sabemos que a cidade talvez não tenha um número expressivo de habitantes que precise para ter uma outra empresa, sendo assim, a empresa que ganhou a licitação tem que cumprir com o contrato e fornecer um serviço de qualidade aos usuários”. Informa o legislador.

Segundo relatos de passageiros do município, os ônibus têm chegado com atraso nos pontos, tem circulado na cidade com super lotação, também alguns não têm as adequações necessárias para transportar passageiros e a empresa não dispõe de uma ouvidoria. Já os passageiros que vem da cidade de Poxoréu para trabalhar em Primavera do Leste, reclamaram do atraso em relação aos horários, já que muitos usuários precisam chegar a seus empregos nos horários.  Ainda alguns motoristas estão rodando em alta velocidade. Outro ponto citado é a falta de estrutura do ônibus que faz essa linha intermunicipal, em que, não possui cinto de segurança, estão super lotados e estragando no meio da estrada com muita freqüência.

“Já solicitei a prefeitura o contrato entre a empresa e o executivo para investigar o cumprimento, também estou juntando todas as reclamações, e irei, com outros colegas vereadores até a Coordenação Municipal de Trânsito e Transportes Urbano (CMTU) da cidade para verificar a situação das vistorias. Ressalto ainda que iremos falar com a Ager, órgão que fiscaliza as linhas intermunicipais para saber quais os padrões para transportar passageiros e iremos exigir os tacógrafos, como forma de acompanhar o bom andamento do serviço prestado”. Conclui Luis Costa.