Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

Região

Pastoral da AIDS Regional Oeste 2, realizou a 1º Sensibilização e formação em Diamantino-MT


Com o objetivo de formar novos agentes pastorais e difundir o trabalho evangelizador e social a Pastoral da AIDS Regional Oeste 2, realizou no último sábado (07), a  1º   Sensibilização e Formação em Diamantino – MT.

Vários temas foram abordados durante o seminário, entre eles, a missão da pastoral e o compromisso que a pastoral tem, em evangelizar homens e mulheres, atenta às necessidades das pessoas que vivem com HIV, trabalhando na prevenção e contribuindo na contenção da epidemia, envolvendo todos os cristãos na luta contra a AIDS.

“A Igreja assume o serviço de prevenção ao HIV e assistência a soropositivos e, sem preconceitos, acolhe, acompanha e defende os direitos daqueles e daquelas que foram infectadas pelo vírus da AIDS. Também realiza um trabalho de prevenção pela conscientização dos valores cristãos, com base no evangelho de Jesus Cristo, sendo presença misericordiosa e promovendo a vida como bem maior” (Diretrizes Gerais da CNBB, nº123).

O padre Reinaldo Braga Júnior, participou do encontro e ressaltou que a Pastoral da AIDS é uma pastoral em saída, que vai ao encontro do outro, vai aonde muitos não vão. “Jesus ensinou compaixão, atitude de presença ativa e consoladora de quem aceita compartilhar a dor de quem sofre e ajuda a superá-la, quando é possível”.

A frente da Pastoral como coordenadora da Regional Oeste 2, Maviane Damitz, que também compartilhou sua experiência e vivência na pastoral, afirmou que os agentes da pastoral precisam de sensibilidade para perceber aonde a dor está mais intensa e assim encontrar a melhor resposta. “Todos somos importantes na luta contra a AIDS. Por isso, leve informação, oriente a população onde você mora, execute ações de incentivo ao diagnóstico precoce, faça parte ativa neste trabalho, seja um agente comprometido com as ações da pastoral da AIDS”.

A coordenadora Diocesana de Primavera do Leste/Paranatinga, Doris Martins, disse que esta formação foi importante por alcançar cinco foranias, sendo que as dioceses mandaram até quatro participantes. “Existiam pessoas que já trabalham com a prevenção da AIDS no CTA, mas não tinham preparo e não sabiam como abordar o paciente de forma cristã, então eles viam o lado profissional e não viam o lado da igreja, então foi de extrema importância essa formação”.

O Seminário encerrou as atividades com uma agenda Diocesana com os próximos trabalhos a serem desenvolvidos em cada paróquia de seus respectivos municípios. Com isso a Pastoral da AIDS avança no Regional Oeste 2, com o seu comprometimento, formação, ação e evangelização .

Participaram do seminário, leigos e leigas das Dioceses de Primavera do Leste/ Paranatinga, de São Luiz de Cáceres, de Diamantino, de Rondonópolis/Guiratinga, de Juína e da Arquidiocese de Cuiabá.

A articulação do seminário foi engajada pela coordenadora diocesana de Diamantino, Elisete Diniz, com o apoio do Bispo assessor da Pastoral da AIDS no Regional Oeste 2, Dom Vital Chitolina.

O evento teve a presença do prefeito de Diamantino, Eduardo Capistrano que reiterou a importância dessa Pastoral na luta contra a AIDS e o preconceito. Também o médico Reinaldo de Almeida Júnior, do SAE/CTA, que esteve presente falando sobre AIDS e religião.

Mais de 60 pessoas se tornaram novos agentes pastorais, sendo de inúmeras paróquias, entre elas de: Arenópolis, São José de Alto Araguaia, Nossa Senhora Mãe dos Homens, de São Sebastião, Também de Nossa Senhora de Fátima do município de Nova Brasilândia. Representantes da Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV e AIDS, do Conselho Tutelar, do Conselho Municipal de Saúde, da Secretaria de Estado de Ciência, Inovação e Tecnologia (SECITEC), e assentados de Deciolândia.

Fonte: Pastoral da AIDS Regional Oeste 2 / Pascom Diocese de Primavera do Leste/Paranatinga


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

política

Vereadores ouvem reivindicações de trabalhadores contra a empresa CityBus


Luis Costa prepara pedido de CPI para investigar a empresa

Da Redação

A comunidade tem reclamado das condições de uso do transporte coletivo de Primavera do Leste, e desde o ano passado o vereador Luis Costa (PR) começou a levantar dados necessários para investigar a situação. Em novembro o legislador acompanhou o trajeto do bairro Primavera 3 até o centro, e viu que a situação não é nada boa, pois existe a super lotação. Diante desta perspectiva e das reclamações que vem chegando ao gabinete do vereador e também a Casa de Leis, Luis Costa sugere que se instaure uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a empresa CityBus.

E no dia de ontem (20), o legislador, juntamente com os colegas Carlos Venâncio (PSD) e Carmem Betti Borges (PSC), participaram da assembléia geral dos trabalhadores da Granja Mantiqueira e na oportunidade, ouviram os trabalhadores de Primavera do Leste e os que moram em Poxoréu, sobre as condições do transporte coletivo. A empresa Granja Mantiqueira fornece apenas o valor do transporte coletivo aos trabalhadores, não tendo assim nenhuma ligação com a empresa CityBus.

“Temos apenas uma empresa de transporte coletivo em nossa cidade que é a CityBus, e sabemos que a cidade talvez não tenha um número expressivo de habitantes que precise para ter uma outra empresa, sendo assim, a empresa que ganhou a licitação tem que cumprir com o contrato e fornecer um serviço de qualidade aos usuários”. Informa o legislador.

Segundo relatos de passageiros do município, os ônibus têm chegado com atraso nos pontos, tem circulado na cidade com super lotação, também alguns não têm as adequações necessárias para transportar passageiros e a empresa não dispõe de uma ouvidoria. Já os passageiros que vem da cidade de Poxoréu para trabalhar em Primavera do Leste, reclamaram do atraso em relação aos horários, já que muitos usuários precisam chegar a seus empregos nos horários.  Ainda alguns motoristas estão rodando em alta velocidade. Outro ponto citado é a falta de estrutura do ônibus que faz essa linha intermunicipal, em que, não possui cinto de segurança, estão super lotados e estragando no meio da estrada com muita freqüência.

“Já solicitei a prefeitura o contrato entre a empresa e o executivo para investigar o cumprimento, também estou juntando todas as reclamações, e irei, com outros colegas vereadores até a Coordenação Municipal de Trânsito e Transportes Urbano (CMTU) da cidade para verificar a situação das vistorias. Ressalto ainda que iremos falar com a Ager, órgão que fiscaliza as linhas intermunicipais para saber quais os padrões para transportar passageiros e iremos exigir os tacógrafos, como forma de acompanhar o bom andamento do serviço prestado”. Conclui Luis Costa.