Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

cidade

Pastoral da AIDS realiza vigília pelos mortos em Primavera do Leste


No terceiro domingo de maio (20), a Pastoral da AIDS da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) promove a Vigília Pelos Mortos de AIDS. A atividade de caráter internacional realiza ações em memória das pessoas que morreram com a doença.

Com a frase, “Tantas vidas não podem se perder”, a Pastoral da AIDS coloca em comunhão as pessoas que faleceram e estão na presença de Deus, com aquelas que cuidam da vida e buscam que os direitos humanos sejam respeitados. Celebrar esse dia é um momento oportuno de sensibilizar os familiares que perderam seus entes queridos.

“É preciso humanizar com: redução do estigma; acesso garantido ao tratamento; aumento dos recursos e promoção do envolvimento para evitar mais mortes por AIDS”, este lema é usado pela igreja para mobilizar por meio da Pastoral da AIDS e por entidades comprometidas com a causa, dá sua contribuição promovendo a solidariedade. Lembra, ao mesmo tempo, que a morte não é a última palavra sobre o humano. Cristo ressuscitou para que os sinais da morte se transformem em sinais de vida.

Programação de missas:

*Igreja Nossa Senhora da Salete: 19 horas /domingo;

*Igreja São Cristovão: 6 horas da manhã no sábado/ 17 horas no domingo;

*Igreja São Francisco: 19h30 no sábado / 8 horas da manhã no domingo;

*Igreja Nossa Senhora Aparecida: 19h30 na sexta-feira;

*Igreja Caravaggio: 7 horas da manhã e às 19h no domingo;

*Igreja Sagrada Família: 8 horas da manhã e 18h no domingo;

*Igreja Divino Espírito Santo: 19h horas no sábado – ao lado da UNIC;

*Comunidade São Pedro no Assentamento Vale Verde: 16 horas no sábado;

*Igreja Evangélica de Confissão Luterana: celebração às 19h no domingo;

VIGíLIA PELOS MORTOS DA AIDS

A Vigília é um movimento mundial que iniciou em 1983. Pretende sensibilizar e mobilizar a sociedade para a problemática do HIV/AIDS. Fazendo memória dos mortos em conseqüência da AIDS, a Vigília pretende suscitar solidariedade aos portadores do HIV e despertar toda a população para a prevenção.

A igreja, mobilizada pela Pastoral de DST/AIDS está envolvida nesta iniciativa. Dá sua contribuição, convocando todos os cristãos e comunidades para a colhida solidária das pessoas que vivem com HIV, para a difusão de informações que defendam a vida, para uma prece esperançosa por aqueles que já morreram. Afinal, a morte não é a última palavra para o ser humano. Cristo ressuscitou e também nós vamos ressuscitar.

“Lembrando a causa, renovemos nosso compromisso”. Este é o lema da 20º Vigília, celebrada neste ano. Diante das mortes causadas pela epidemia, diante da injusta distribuição dos recursos para seu controle, rezemos e nos unamos a todas as pessoas de boa vontade para que a vida prevaleça: em nós, nos outros e naqueles atingidos pela Aids.

Outra data importante

Além da Vigília pelos Mortos da AIDS, no dia 1º de dezembro, Dia Mundial de Luta contra a AIDS, será a vez da Igreja, num ato político e reivindicatório, questionar os órgãos governamentais quanto à carência de políticas de saúde para a solução dos problemas enfrentados pelos portadores do HIV. Será uma data de alerta para a necessidade de prevenção e cuidado.

Fonte: Pascom/ Pastoral da AIDS Regional Oeste 2


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

política

Neri Geller, deputado federal eleito, deixa a prisão depois de HC concedido pelo STJ


Neri Geller (PP) solto na segunda-feira (12) — Foto: TVCA/Reprodução

Neri Geller (PP) solto na segunda-feira (12) — Foto: TVCA/Reprodução

O deputado eleito, Neri Geller (PP) foi solto no início da noite desta segunda-feira (12), após o Superior Tribunal de Justiça (STJ) acatar o pedido de habeas corpus impetrado pela defesa do e ex-ministro da Agricultura Pecuária e Abastecimento no domingo (11). Geller estava preso desde a última sexta-feira (9), em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá.

Ao ser solto, o ex-ministro concedeu entrevista à equipe de reportagem da TV Centro América. Ele negou as acusões e disse que não é indiciado, apenas teve o nome citado em uma delação.

“Não fui chamado para depor em nenhum momento das investigações e vou me inteirar das acusações e depois vou manifestar junto à imprensa”, disse.

O deputado eleito disse ainda que algumas pessoas que estão sendo acusadas de corrupção foram desafetos políticos dele durante o tempo em que foi ministro.

As investigações foram baseadas na delação do doleiro Lúcio Funaro, apontado como operador do MDB. Foram presos na ação Antônio Andrade (também ex-ministro da Agricultura), Rodrigo Figueiredo (ex-secretário de Defesa Agropecuária do Mapa, que já conseguiu liberdade), o empresário Joesley Batista e mais 13.

Ex-ministro diz que nunca foi chamado para depor — Foto: TVCA/Reprodução

Ex-ministro diz que nunca foi chamado para depor — Foto: TVCA/Reprodução

A prisão

O ex-ministro foi preso durante a Operação Capitu, por suposto envolvimento em um esquema de corrupção no Ministério da Agricultura entre 2013 e 2014 e é um desdobramento da Lava Jato.

Neri Geller estava hospedado em um hotel de Rondonópolis porque participaria de um evento agropecuário. Por volta de 6h, três agentes da Polícia Federal (PF) chegaram ao local em carro descaracterizado e o levaram em cumprimento a um mandado de prisão temporária.

Após a prisão, Geller foi levado para a delegacia da PF e, posteriormente, encaminhado para a Penitenciária Major Eldo de Sá Corrêa, a Mata Grande, por não ter nível superior.

Fonte: G1 Mato Grosso