Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

Região

Obra parada do Cefapro em Primavera do Leste é investigada pelo MPF


A obra está há 10 anos parada,

Obras eram para ser realizadas com recursos do Ministério da Educação

O Ministério Público Federal (MPF) abriu investigação para apurar possíveis irregularidades em obras de escolas conveniadas com a União e as prefeituras de Santa Terezinha (a 1.329 km de Cuiabá) e Vila Rica (a 1.276 km de Cuiabá). O procedimento foi assinado pelo procurador da República, Ricardo Pael Ardenghi.

Segundo os autos, o procedimento tem como objetivo apurar se os projetos podem ter gerado algum tipo de prejuízo aos cofres públicos, já que elas estão ligadas ao Ministério da Educação e algumas delas ao Governo de Mato Grosso.

De acordo com o procurador, em 2012 o Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil (Proinfância) lançou edital para licitar projetos de construções com Metodologia Inovadora (MI). Para a execução dos serviços, foram destinados mais de R$ 6 bilhões .

No entanto, um relatório da Controladoria Geral da União (CGU) apontou que durante o processo algumas obras foram abandonadas, canceladas ou sequer iniciadas, devido a diversos problemas. No documento, constaram irregularidades em mais de 80 obras de Mato Grosso, entre elas nos municípios de Alto Paraguai, Rondolândia, Gaúcha do Norte, Primavera do Leste, Comodoro e Diamantino.

Entre as obras a serem investigadas está a construção do Centro de Formação e Atualização dos Profissionais da Educação Básica de Mato Grosso (Cefapro) em Primavera do Leste, que recebeu orçamento de R$ 1 milhão. As obras iniciaram em agosto de 2010 e não foram concluídas.

Neste ano de 2020, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) determinou a demolição do prédio sob a justificativa de a estrutura estaria comprometida.

Com informações Folhamax 

COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

política

Pedido de cassação de Luis Costa é arquivado após vereador citar perda prazo da conclusão de processo


Da Redação

Em sua 2º legislatura, eleito pelo povo, o vereador Luis Costa (PDT) se posiciona a favor das políticas públicas que favorecem o povo. É incisivo em dizer que não tem lado político, e que sempre lutará pelos diretos dos cidadãos primaverenses. Diante das inúmeras denúncias realizadas, sendo, contrário há algumas condutas da gestão municipal, e a atuação de alguns profissionais liberais que trabalham de forma indireta com grupos políticos, Luis tem deixado algumas pessoas incomodadas.

 

Recentemente um advogado que atuou frente a gestão municipal sentiu-se ofendido e requereu a cassação do mandato do vereador Luis Costa, que segundo o advogado, o legislador se referiu ao profissional de forma pejorativa. O pedido foi para o plenário e desta forma a maioria dos pares votou pela abertura da Comissão Processante (CP) para investigar a conduta do vereador.

 

Durante a última sessão ordinária (18/10), o relatório concluído da CP do vereador Luis Costa foi para a pauta, na qual, antes da leitura da CP, Luis Costa citou em tribuna o artigo 71 do Regimento Interno dizendo sobre os prazos. Após sua fala, o presidente da Casa de Leis, durante a leitura do projeto da CP, citou um requerimento do próprio advogado que solicitou a abertura da Comissão, e nesta ocasião, o documento consta a não continuidade em relação ao objetivo principal da CP, em que, solicita a cassação do vereador. Diante dos fatos o presidente da Casa de Leis, decidiu-se por acatar a questão de ordem e retirou de pauta o parecer da comissão e determinou o trancamento da presente denúncia.

 

“Eu quero agradecer a Deus em primeiro lugar, pois se estou aqui é graças e ele que me concedeu este lugar. Quero agradecer aos amigos e família, pois cada um esteve comigo em vários momentos. Antes de iniciar a leitura do processo de cassação eu já tinha mencionado a situação da perca dos prazos, mas independentemente da situação quero aqui agradecer também aos colegas vereadores que disseram que votariam ao meu favor. Estamos em uma briga política, em que a situação não é apenas o meu cargo político e sim a minha família e a minha luta contra a corrupção. Pois existem pessoas como o advogado Dr. Claudiomar que está agora atuando para minha ex-mulher e tem tentado de todas as maneiras me atingir. Uma tentativa foi o bloqueio das minhas redes sociais. Quero dizer que não vão conseguir me calar, pois minha luta é pelo bem e contra a corrupção e continuarei trabalhando forte e firme, pois eu tenho Deus e sei que estou no caminho certo”. Descreve Luis Costa.