Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

cidade

Nova sede do CTA garante atendimento especializado e qualidade dos serviços


O Centro de Testagem e Acolhimento, CTA, ganhou uma nova sede, na manhã desta quinta-feira, 14. Com instalações modernas, confortáveis, climatizadas e amplas. Os atendimentos disponibilizados são nas áreas de HIV, doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), tuberculose e hepatites, além disso, promove testes rápidos para hepatite B, C, HIV, sífilis e disponibiliza o tratamento gratuito para a Aids.

Conforme a secretária de saúde, Laura Leandra, a nova estrutura, que está no antigo Pronto Atendimento Médico (PAM), trará mais qualidade no atendimento e se tornará referência para região. “São atendidos pelo programa 180 pacientes, mas vamos conseguir ampliar os atendimentos, inclusive, para os municípios vizinhos. Isso será possível, porque conseguimos êxito na aprovação do projeto que torna o CTA em Serviço de Assistência Especializada (SAE), e com isso ficamos aptos a receber recursos estaduais. Primavera mais uma vez desponta como referência em saúde. Sem dúvida nenhuma é uma grande conquista”.

O atendimento ofertado pelo SAE/CTA, segundo o coordenador Marcos Moreira, é inteiramente sigiloso, pelo fato de lidar com doenças sexualmente transmissíveis, principalmente os portadores do vírus HIV. “O conceito é disponibilizar um atendimento especializado e multiprofissional, como enfermeiro, assistente social, psicólogo, farmacêutico, nutricionista e médico infectologista”.

Para o prefeito Léo Bortolin, a reinauguração do SAE/CTA é um avanço na saúde pública do município. “Isso tem sido possível, por meio de planejamento e organização de políticas públicas, adotadas desde que assumi a Prefeitura. Os resultados são visíveis seja nas condições de trabalho e prestação de serviço humanizada. Neste caso específico, essa nova estrutura conseguirá alcançar os objetivos, oferecendo ao usuário do SUS, um serviço de qualidade. Quando falamos de doenças sexualmente transmissíveis são doenças de estigma e essa nova unidade, cumprem as regras, normas, diretrizes de proteção e assistência a esses pacientes”.

Da Assessoria

 


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

política

Neri Geller, deputado federal eleito, deixa a prisão depois de HC concedido pelo STJ


Neri Geller (PP) solto na segunda-feira (12) — Foto: TVCA/Reprodução

Neri Geller (PP) solto na segunda-feira (12) — Foto: TVCA/Reprodução

O deputado eleito, Neri Geller (PP) foi solto no início da noite desta segunda-feira (12), após o Superior Tribunal de Justiça (STJ) acatar o pedido de habeas corpus impetrado pela defesa do e ex-ministro da Agricultura Pecuária e Abastecimento no domingo (11). Geller estava preso desde a última sexta-feira (9), em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá.

Ao ser solto, o ex-ministro concedeu entrevista à equipe de reportagem da TV Centro América. Ele negou as acusões e disse que não é indiciado, apenas teve o nome citado em uma delação.

“Não fui chamado para depor em nenhum momento das investigações e vou me inteirar das acusações e depois vou manifestar junto à imprensa”, disse.

O deputado eleito disse ainda que algumas pessoas que estão sendo acusadas de corrupção foram desafetos políticos dele durante o tempo em que foi ministro.

As investigações foram baseadas na delação do doleiro Lúcio Funaro, apontado como operador do MDB. Foram presos na ação Antônio Andrade (também ex-ministro da Agricultura), Rodrigo Figueiredo (ex-secretário de Defesa Agropecuária do Mapa, que já conseguiu liberdade), o empresário Joesley Batista e mais 13.

Ex-ministro diz que nunca foi chamado para depor — Foto: TVCA/Reprodução

Ex-ministro diz que nunca foi chamado para depor — Foto: TVCA/Reprodução

A prisão

O ex-ministro foi preso durante a Operação Capitu, por suposto envolvimento em um esquema de corrupção no Ministério da Agricultura entre 2013 e 2014 e é um desdobramento da Lava Jato.

Neri Geller estava hospedado em um hotel de Rondonópolis porque participaria de um evento agropecuário. Por volta de 6h, três agentes da Polícia Federal (PF) chegaram ao local em carro descaracterizado e o levaram em cumprimento a um mandado de prisão temporária.

Após a prisão, Geller foi levado para a delegacia da PF e, posteriormente, encaminhado para a Penitenciária Major Eldo de Sá Corrêa, a Mata Grande, por não ter nível superior.

Fonte: G1 Mato Grosso