Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

cidade

Município de Primavera do Leste pode se tornar o polo aeronáutico do interior do Estado


Primavera do Leste tem um ponto positivo – é o município com a maior frota agrícola do Brasil. Isso foi um dos fatores que atraiu especialistas da área aeronáutica, na última Farm Show ocorrida em março deste ano. Após a implantação de curso técnico voltado para a tecnologia e manutenção de aeronaves, a cidade tem grande potencial para se tornar um polo aeronáutico.

Com a falta de espaço nos aeroportos dos grandes centros, é natural que os investidores procurem o interior dos estados menos desenvolvidos. Além da grande frota de aviões agrícolas, Primavera do Leste tem boa localização geográfica e oficinas de qualidade no que se refere a manutenção. Para o professor do Instituto Federal de São Paulo – IFSP – Gerson Marcelo Camargo, que coordena o curso técnico de manutenção de aeronaves, “Primavera tem todo potencial para a criação de um polo tecnológico na área de desenvolvimento da aviação agrícola, de aeronave de pequeno porte e também no desenvolvimento de tecnologias de alto valor agregado”.

Passo a passo o curso está sendo desenvolvido com a parceria do Instituto Federal de São Paulo (IFSP) e Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) – polo Primavera do Leste.  Segundo Gerson, são etapas de trabalho que precisam ser vencidas. A primeira delas é que seja disponibilizado um espaço no aeroporto. “Um curso de aviação tem que ser onde estão os aviões. Outra etapa é a homologação do curso junto a Agência Nacional da Aviação Civil, depois a capacitação dos professores; pela minha ótica as possibilidades são boas para que isso possa se desenrolar em pouco tempo.”

O prefeito Léo Bortolin conta que o Executivo já encaminhou para a Câmara o projeto de Lei que autoriza ceder o hangar da Prefeitura para a realização do curso. Caso a matéria seja aprovada, já estão garantidas três aeronaves para utilizar nas aulas. “Com isso queremos fazer com que Primavera do Leste se torne uma referência no polo aeronáutico”, reafirma Léo Bortolin.

O Dr. James Waterhouse, professor da Escola de engenharia Aeronáutica da Universidade de São Paulo (USP) de São Carlos/SP, destaca que, para Primavera do Leste ter um aeroporto desenvolvido, etapas precisam ser concluídas. A primeira delas é fazer um plano diretor, ordenando a ocupação ao redor do aeroporto, para que a comunidade possa conviver de forma pacífica e o aeródromo não venha causar transtornos futuros. “A ideia é que seja um investimento perpétuo e que atraia investidores. Ele entende que a ocupação desregulada ao redor do aeroporto pode colocar em risco todo esse esforço”.

Léo Bortolin reconhece que Primavera do Leste tem problemas crônicos no aeroporto e, conta com o apoio dos professores para homologar o balizamento. O prefeito pensa grande, “além disso, pensamos numa ampliação para atender aeronaves de porte maior. Será um salto muito grande para Primavera”.

Para o Dr. James, “a chance de Primavera do Leste se tornar polo aeronáutico é muito grande porque existe um prefeito que tem visão de desenvolvimento e, que tem o essencial – apoio da comunidade. Existe uma convergência entre a parte política e a sociedade trabalhando juntos para que isso aconteça”.

Ascom – Prefeitura de Primavera do Leste


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

Brasil

Calendário de pagamento do Seguro DPVAT já está disponível na internet


O calendário de pagamento do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (Seguro DPVAT) já está disponível para proprietários de veículos de todo o país no site da Seguradora Líder, no qual o boleto pode ser gerado.

São Paulo - Prefeito João Doria sanciona criação do Parque Municipal do Minhocão, que prevê desativação gradativa do Elevado João Goulart para carros e uso exclusivo para lazer (Rovena Rosa/Agência Brasil)
O seguro é obrigatório e deve ser pago por motoristas e motociclistas de todo o país – Arquivo/Agência Brasil

A Líder é responsável pela administração desse seguro obrigatório, que deve ser pago uma vez por ano para obtenção do licenciamento do veículo. Se não pagar, o proprietário perde o direito ao seguro em caso de acidente, se for o condutor do veículo no momento da ocorrência, mas os demais envolvidos permanecem cobertos.

O prêmio deve ser quitado junto ao vencimento da cota única ou da primeira parcela do Imposto Sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), nos bancos Bradesco, Caixa, Santander, Itaú e Banco do Brasil.

O pagamento segue o calendário do IPVA de cada estado. No caso do Rio de Janeiro, por exemplo, o prazo para pagar o IPVA vence no próximo dia 21 para veículos de placa final 0, informou a assessoria de imprensa da Líder. A seguradora esclareceu que, no caso de veículos isentos do IPVA, o pagamento do DPVAT deve ser feito durante o emplacamento ou licenciamento anual. A forma de pagamento varia de estado para estado.

Deságio

De acordo com resolução do Conselho Nacional de Seguros Privados, em dezembro do ano passado, foi aprovada redução média de 63,3% no valor do DPVAT para 2019. O valor da redução dpende do tipo de veículo. Automóveis particulares e táxis, por exemplo, terão o DPVAT reduzido em 71%. A tarifa será de R$ 16,21 para automóveis particulares.

Para motocicletas, responsáveis pela maioria dos acidentes de trânsito atendidos pelo Seguro DPVAT, o valor do prêmio chega a R$ 84,58.

Da mesma forma que ocorreu no ano passado, o Seguro DPVAT não poderá ser parcelado para nenhuma categoria de motoristas. Os valores são válidos para todo o país. Dúvidas podem ser esclarecidas na Central de Atendimento da Seguradora Líder no número 4020 1596 (regiões metropolitanas) ou 0800 022 12 04 (outras regiões). O Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) pode ser acessado no número 0800 022 8189, 24 horas por dia.

Cobertura

O Seguro DPVAT cobre qualquer cidadão acidentado no Brasil, seja motorista, passageiro ou pedestre. São oferecidos três tipos de cobertura: morte (R$ 13.500), invalidez permanente (até R$ 13.500) e reembolso de despesas médicas e hospitalares da rede privada de saúde (até R$ 2.700). A proteção é assegurada por um período de até três anos.

Do total de recursos arrecadados pelo Seguro DPVAT, 50% são destinados à União, dos quais 45% vão para o Sistema Único de Saúde (SUS), visando ao custeio da assistência médico-hospitalar às vítimas de acidentes de trânsito; e 5% vão para o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), para investimento em programas de educação e prevenção de acidentes de trânsito. Os 50% restantes são reservados para despesas, reservas e pagamento de indenizações.

Fonte: Agência Brasil