Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

Região

Morre aos 94 anos o empresário Ueze Elias Zahran


Morreu nesta quinta-feira (27), em São Paulo, aos 94 anos, o empresário Ueze Elias Zahran.

Filho de imigrantes libaneses, o fundador do Grupo Zahran nasceu em Bela Vista (MS), em 1924, e deixa um legado de empreendedorismo aliado à responsabilidade social e ambiental e ficará na história pela contribuição para o desenvolvimento da região Centro-Oeste.

Ele deixa a esposa, dona Lucila Zahran, quatro filhos: Márcia, Ana Karla, Simone e Carlos Eduardo, os irmãos Jeannete e Nagib, netos, bisnetos e sobrinhos.

O velório acontece nesta sexta-feira (28), a partir das 9h no hospital Albert Einstein em São Paulo. O corpo será cremado no início da tarde.

Ueze é o segundo de seis irmãos. Além dele, os pais tiveram Eduardo, Jorge, João, Nagib e Jeannette.

Sentados, dona Laila e seu Elias, e em pé, ao fundo, da esquerda para a direita, Eduardo, Ueze, Nagib, Jorge e Jeannette e, entre o casal, João — Foto: Arquivo

Sentados, dona Laila e seu Elias, e em pé, ao fundo, da esquerda para a direita, Eduardo, Ueze, Nagib, Jorge e Jeannette e, entre o casal, João — Foto: Arquivo

Homem de negócios

O sustento da família Zahran vinha do comércio. Ueze trabalhava com o pai, Elias Zahran, em um bar, cuja maior renda era proveniente de uma torrefação de café. No início da década de 1940, instalou-se em Campo Grande uma torrefação de café de grande porte e, com isso, a família se desfez do bar e abriu uma padaria.

Desde jovem, Ueze Zahran cuidava dos negócios da família e sempre quis empreender — Foto: TVCA/Reprodução

Desde jovem, Ueze Zahran cuidava dos negócios da família e sempre quis empreender — Foto: TVCA/Reprodução

Ueze sempre quis ser comerciante e ter o próprio negócio, até que comprou uma empresa de torrefação e conseguiu autorização do governo brasileiro para exportar o café de Campo Grande para a Argentina. Porém, por uma questão comercial entre Brasil e Argentina, teve de encerrar as atividades.

Ueze quando criou a Copagaz, que se tornaria uma das maiores companhias de gás do Brasil — Foto: Arquivo

Ueze quando criou a Copagaz, que se tornaria uma das maiores companhias de gás do Brasil — Foto: Arquivo

Primeiro grande negócio

Nesse período, em 1954, em uma viagem a São Paulo com a mãe, dona Laila Jorge Zahran, que se encantou com as facilidades de um fogão a gás e pediu ao filho a novidade da época. Isso deu uma ideia ao empreendedor.

“Ela (a mãe, Laila Zahran) riu quando viu aquela chama azul embaixo da panela. Imaginei tantas mães felizes vendo aquela chama azul embaixo da panela”, lembrou, em uma entrevista concedida à Rede Matogrossense de Comunicação (RMC).

Após muitas pesquisas sobre o assunto, se convenceu de que era um grande negócio.

Dois anos depois da criação da Petrobras, quando surgiam as primeiras refinarias de petróleo no país, o processo de distribuição de GLP aumentava com o crescimento do mercado de fogão a gás e, em 1955, Ueze Zahran criou a Copagaz.

Ueze e dona Lucila se casaram na década de 50 — Foto: TVCA/ Reprodução

Ueze e dona Lucila se casaram na década de 50 — Foto: TVCA/ Reprodução

Sessenta anos após a instalação, a Copagaz é a quinta maior distribuidora de GLP do Brasil.

TV Centro América foi fundada por Ueze Zahran em 1967 — Foto: TVC/Reprodução

TV Centro América foi fundada por Ueze Zahran em 1967 — Foto: TVC/Reprodução

Comunicação

A carreira empresarial de Ueze Zahran não se limitou ao ramo do GLP.

Naquela época, o país tinha 26 emissoras de televisão. Ueze entrou na concorrência para a concessão de canais de televisão e ganhou o direito para montar três emissoras geradoras em Campo Grande, Cuiabá e Corumbá.

TV Morena, 1° emissora de MS, foi fundada por Ueze Zahran em 1965 — Foto: TV Morena/Reprodução

TV Morena, 1° emissora de MS, foi fundada por Ueze Zahran em 1965 — Foto: TV Morena/Reprodução

Em 1965, junto com os irmãos, inaugurou a TV Morena, em Campo Grande, primeira emissora de Mato Grosso, antes da divisão do estado, e, dois anos depois, a TV Centro América, em Cuiabá, dando início à Rede Matogrossense de Televisão, hoje Rede Mato Grossense de Comunicação.

“Eu trabalhava dia e noite. Meu descanso era a Jovem Guarda. Achava aquilo tão bonito que não podia ficar restrito às grandes cidades somente. Eu achava que meu povo do estado de Mato Grosso tinha o direito de ver aquela beleza, da Jovem Guarda, Roberto Carlos e a turma dele”, contou, em entrevista.

A princípio, a programação era gerada por outras emissoras de TV e em janeiro de 1976 a então Rede Matogrossense de Televisão se tornou afiliada da Rede Globo.

Hoje, com sete emissoras de TV, rádios e sites, a Rede Mato-grossense de Comunicação é uma das maiores empresas do setor do país.

Fundação Ueze Zahran. inaugurada em 1999 — Foto: TVCA/ Reprodução

Fundação Ueze Zahran. inaugurada em 1999 — Foto: TVCA/ Reprodução

Ações sociais

Ao longo da vida empresarial, Ueze investiu nos mais diversos ramos da economia, como comercio, agronegócio, alimentação, telecomunicação, indústria e energia. Sempre priorizou a responsabilidade social e, em 2015, recebeu da ONU o título de Guardião dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.

Ele fundou em 1999 a Fundação Ueze Zahran, que provê, entre outras ações sociais, educação para adultos, curso de computação para idosos e promoção cultural para jovens e crianças.

Empresa ajudou famílias por meio do programa SOS Crianças Desaparecidas — Foto: Arquivo

Empresa ajudou famílias por meio do programa SOS Crianças Desaparecidas — Foto: Arquivo

Em 1996, Ueze Zahran foi convidado pela Secretaria do Bem Estar do Menor de São Paulo a fazer uma parceria entre a Copagaz e o governo daquele estado na campanha “SOS Crianças Desaparecidas”.

O programa ajuda famílias a encontrar crianças desaparecidas, por meio da publicação e divulgação de fotos de crianças desaparecidas nas etiquetas dos botijões de gás distribuídos pelo país.

Dezenas de crianças foram encontradas e voltaram para suas famílias a partir da campanha.

Ueze Zahran em um momento de descontração com Ballut — Foto: Arquivo

Ueze Zahran em um momento de descontração com Ballut — Foto: Arquivo

Paixão por cavalos

Apaixonado por cavalos árabes, Ueze Zahran montou em 1988 um haras, na fazenda dele, em Campo Grande. Na propriedade começou a criação de cavalos e, posteriormente, se tornou um dos mais expressivos criadores da raça.

Fonte: G1 Mato Grosso


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

política

Vereador Luis Costa solicita ao executivo a roçada de mato seco em terrenos baldios e caminhões pipas para molharem as ruas de chão


Da Redação

O clima seco é um dos vilões da boa respiração, é a falta de chuva, a poeira excessiva e as queimadas. Primavera do Leste não fica atrás da realidade nacional, pois o período da seca chega em média há durar três meses, e neste período as doenças respiratórias se agravam, principalmente nas crianças e idosos.

Neste último final de semana o vereador Luis Costa (PR) esteve nos Bairros Poncho Verde e São Cristovão, acompanhando a situação dos terrenos baldios que estão com muito mato seco.

“Esta época do ano, que o clima fica mais seco, tem que cuidar mais da saúde com prevenções, como por exemplo, realizar a roçada de alguns terrenos baldios espalhados pela cidade para evitar que pegue fogo. Estarei solicitando a secretaria de obras o serviço de roçada e limpeza dos terrenos principalmente nestes bairros com pontos mais críticos, porque se houver a queimada o fogo pode se espalhar rapidamente e atingir as residências da comunidade”. Explica o vereador Luis Costa.

Na sessão ordinária de segunda – feira (24), o legislador junto com o colega vereador Valmislei Alves dos Santos, falaram sobre as reclamações dos moradores do Bairro Guterres e região em relação à poeira.

“Este é outro problema que se agrava nesta época do ano, e a população não tem aguentando tanta poeira. Alguns bairros da cidade como o Guterres e região, são mais atingidos porque ainda existem algumas ruas sem asfalto, como exemplo, a rua próxima ao aeroporto que é um dos principais acessos aos bairros. Como o colega Valmislei disse, o executivo precisa colocar alguns caminhões pipas para molhar as ruas, porque se existe água para molhar as gramas, como não molhar as ruas de chão. Eu peço atenção da prefeitura em relação a esta situação que os moradores estão passando com tanta poeira, porque se não fazermos nada, as pessoas irão ficar doentes e sempre digo aqui, que a nossa prioridade tem que ser a saúde do cidadão”. Finaliza Luis Costa.