Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

Brasil

Medeiros integra coordenação nacional da campanha de Bolsonaro


Eleito deputado federal em 7 de outubro, com mais de 82 mil votos, o senador José Medeiros (Podemos) vai integrar a coordenação nacional da campanha de Jair Bolsonaro (PSL) neste segundo turno. Em reunião com o candidato a presidente, nesta quarta-feira (10), Medeiros e o senador Magno Malta (PR-ES) foram escalados para percorrem o país representando Bolsonaro, que se recupera de cirurgias decorrentes do atentado de que foi vítima no primeiro turno da campanha.

As primeiras atividades da campanha de Jair Bolsonaro neste segundo turno foram definidas com o chamado ‘núcleo duro’ do candidato, que é composto por Malta, Medeiros e os deputados Onyz Lorenzoni (DEM-RS) e Fernando Francischini (PSL-PR).

 

A pedido de Bolsonaro, Medeiros e Malta vão representá-lo em uma atividade de campanha em Palmas (TO). Amanhã, Medeiros estará no Rio de Janeiro e Recife participando de reuniões e carretas levando o nome do candidato do PSL.

Até o final do segundo turno, Medeiros conciliará a sua agenda no Senado Federal com as atividades de campanha de Bolsonaro a presidente da República.

Nesta terça-feira (9), em Brasília, Medeiros participou da reunião do diretório nacional do Podemos e defendeu que o partido anuncie apoio a candidatura de Bolsonaro. A decisão oficial do Podemos ser anunciadaainda hoje. “Na reunião, a maioria dos membros do partido defenderam apoio a Jair Bolsonaro”, informou Medeiros.

O senador José Medeiros também vai colaborar com a campanha de Bolsonaro em Mato Grosso. Com votação nos 141 municípios do estado, o parlamentar defende a criação de uma frente suprapartidária em apoio ao candidato do PSL à Presidência da República.

“Já conversei com o governador eleito Mauro Mendes (DEM) e outras lideranças locais para criarmos essa frente suprapartidária de apoio ao Bolsonaro. Também conversei com alguns membros do PSL sobre o assunto. Vamos ampliar a votação de Bolsonaro neste segundo turno no estado”, conclui Medeiros, que foi o segundo mais votado para deputado federal neste pleito.


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

Brasil

Defesa deve pedir hoje prisão domiciliar para João de Deus


O médium João de Deus chega à Casa Dom Inpacio Loyola, em Abadiânia.

A defesa do médium João Teixeira de Faria, o João de Deus, de 76 anos, prepara para hoje (17) o  habeas corpuspara reverter o pedido de prisão preventiva em domiciliar com tornozeleira. O advogado Alberto Toron afirmou que devem ser considerados a idade elevada e o estado de saúde dele. Lembrou que João de Deus passou por um tratamento de combate ao câncer e é cardíaco.

O médium é denunciado por mais de 300 mulheres, incluindo jovens e casos de crianças, de abuso sexual. Algumas acusações têm mais de 30 anos. Elas relatam que os abusos, em geral, ocorriam durante os atendimentos espirituais. Ele se entregouontem (16), por volta das 16h20, na zona rural de Abadiânia, em Goiás, depois de longa negociação.

A primeira noite do médium, após sua entrega à polícia, foi no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, denominado Núcleo de Custódia. João de Deus, segundo os policiais, ficaria em uma cela de 16 metros quadrados com cama, pia e vaso sanitário. A defesa pediu  que João de Deus fosse colocado em uma cela sozinho.

Interrogatório

O médium prestou ontem (16) depoimento por mais de três horas na delegacia em Goiânia. O interrogatório terminou por volta das 22h. Ele foi questionado sobre 15 depoimentos de mulheres que o denunciaram por abuso sexual, negou as acusações e apresentou sua versão sobre as denúncias.

Após o interrogatório, João de Deus foi levado para fazer exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) e depois seguiu para Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia. Antes do depoimento, o delegado-chefe, André Fernandes, afirmou que o médium seria questionado sobre cada um dos 15 depoimentos, separadamente. Segundo ele, as denúncias envolvem distintos crimes, como os mais variados atentados a costumes e fraudes.

“[Há uma] singularidade de comportamento. Nesses depoimentos há um ato comum, um modus operandi comum. A gente percebe uma igualdade de comportamento.”

Fonte: Agência Brasil