Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

Brasil

Mais Médicos: Profissionais brasileiros têm até quinta para se apresentar


Médicos formados no Brasil que se inscreveram no Programa Mais Médicos deverão se apresentar nos municípios onde irão atuar desta segunda-feira (7) até a próxima quinta (10). De acordo com o Ministério da Saúde, 1.707 profissionais com CRM já escolheram as localidades.

Após esta data, a pasta vai realizar um balanço das vagas remanescentes que serão novamente disponibilizadas a outros profissionais. A previsão é que a lista de médicos brasileiros homologados que deram início às atividades seja publicada no próximo dia 14.

No fim do mês, entre os dia 23 e 24 de janeiro, acontece outra chamada para o programa exclusiva para profissionais brasileiros formados no exterior. Em seguida, no dias 30 e 31 de janeiro, os médicos estrangeiros terão acesso ao sistema para optarem pelas localidades com vagas ainda em aberto.

Saída dos cubanos

Após o fim do contrato com Cuba, em novembro, o Ministério da Saúde lançou editais para a substituição de 8.517 cubanos que atuavam em 2.824 municípios e 34 distritos sanitários especiais indígenas (DSEI).

Inicialmente, concorreram apenas médicos brasileiros com registro no País. Segundo o Ministério, 29% dos postos não foram preenchidos após o término do primeiro prazo de apresentação, que ocorreu no dia 18 de dezembro.

De acordo com o novo ministro, o médico Luiz Henrique Mandetta, o programa deverá ser revisado. Para ele a afirmação de que faltam profissionais no Brasil é falsa.

Segundo ele, o país conta com aproximadamente 320 faculdades de medicina e 26 mil médicos graduados em 2018, com previsão de aumento desse contingente em 10% ao ano até chegar a 35 mil profissionais formados.

“Quem forma essa quantidade toda de profissionais? Muitos deles endividados pelo Fies [Fundo de Financiamento Estudantil] e muitos formados em escola pública. Não temos uma proposta ou política de indução para que eles venham para o sistema público de saúde”, afirmou.

*Com informações da Agência Brasil.


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

política

Vereador Luis Costa solicita ao executivo a roçada de mato seco em terrenos baldios e caminhões pipas para molharem as ruas de chão


Da Redação

O clima seco é um dos vilões da boa respiração, é a falta de chuva, a poeira excessiva e as queimadas. Primavera do Leste não fica atrás da realidade nacional, pois o período da seca chega em média há durar três meses, e neste período as doenças respiratórias se agravam, principalmente nas crianças e idosos.

Neste último final de semana o vereador Luis Costa (PR) esteve nos Bairros Poncho Verde e São Cristovão, acompanhando a situação dos terrenos baldios que estão com muito mato seco.

“Esta época do ano, que o clima fica mais seco, tem que cuidar mais da saúde com prevenções, como por exemplo, realizar a roçada de alguns terrenos baldios espalhados pela cidade para evitar que pegue fogo. Estarei solicitando a secretaria de obras o serviço de roçada e limpeza dos terrenos principalmente nestes bairros com pontos mais críticos, porque se houver a queimada o fogo pode se espalhar rapidamente e atingir as residências da comunidade”. Explica o vereador Luis Costa.

Na sessão ordinária de segunda – feira (24), o legislador junto com o colega vereador Valmislei Alves dos Santos, falaram sobre as reclamações dos moradores do Bairro Guterres e região em relação à poeira.

“Este é outro problema que se agrava nesta época do ano, e a população não tem aguentando tanta poeira. Alguns bairros da cidade como o Guterres e região, são mais atingidos porque ainda existem algumas ruas sem asfalto, como exemplo, a rua próxima ao aeroporto que é um dos principais acessos aos bairros. Como o colega Valmislei disse, o executivo precisa colocar alguns caminhões pipas para molhar as ruas, porque se existe água para molhar as gramas, como não molhar as ruas de chão. Eu peço atenção da prefeitura em relação a esta situação que os moradores estão passando com tanta poeira, porque se não fazermos nada, as pessoas irão ficar doentes e sempre digo aqui, que a nossa prioridade tem que ser a saúde do cidadão”. Finaliza Luis Costa.