Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

geral

Mãe denuncia hospital por negligência na transferência de bebê prematuro


Mãe alega que houve negligência e registrou boletim de ocorrência (Foto: TVCA/ Reprodução)

Mãe alega que houve negligência e registrou boletim de ocorrência (Foto: TVCA/ Reprodução)

Uma mulher denunciou o hospital de Nortelândia, a 254 km de Cuiabá, por negligência após o bebê dela, que nasceu prematuro, morrer. A jovem de 21 anos alega que ele foi transferido para outro hospital, em Tangará da Serra, a 242 km de Cuiabá, de forma incorreta.

A unidade de saúde informou que a criança foi transportada em um berço cirúrgico, com uma máquina de oxigênio.

A mãe, de 21 anos, afirma que procurou o hospital quando apresentava fortes dores e que a médica havia receitado um medicamento e a liberado. No entanto, ela teve que voltar para o hospital devido às contrações.

“As minhas contrações foram aumentando. Eu voltei para o hospital e então a médica veio e realizou o parto”, disse.

Ela reclama que bebê foi transferido sozinho (Foto: TVCA/ Reprodução)

Ela reclama que bebê foi transferido sozinho (Foto: TVCA/ Reprodução)

Um relatório realizado pelo hospital afirmou que a criança nasceu viva. A direção do local informou que o bebê foi transportado em um berço cirúgico, com mascára de oxigênio, e um pano para protegê-lo do frio.

O bebê nasceu com 1.600 kg, recebeu o suporte de uma enfermeira até chegar no hospital no município de Tangará da Serra.

A jovem alega que o hospital agiu com negligência. A direção, por sua vez, disse que ofereceu todo atendimento necessário para a criança, conforme a estrutura da unidade que é mantida por uma ONG.

“O nenê chegou lá sozinho, dentro da ambulância. O hospital [de Nortelândia] tinha todos os recursos para o meu filho estar bem”, afirmou a mãe.

A mãe registrou um boletim de ocorrência na delegacia de Tangará da Serra, mas o caso será investigado pela Polícia CiviI de Nortelândia.

O hospital que recebeu a criança em Tangará informou que a criança chegou debilitada e que os médicos fizeram o possível para salvar a criança.

Fonte: G1 Mato Grosso


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

Polícia

Operação Lei Seca prende 3 motoristas embriagados e apreende 11 carros na MT-251


Operação Lei Seca prendeu 3 motoristas embriagados e apreendeu 11 carros na MT-251 entre Chapada dos Guimarães e Cuiabá — Foto: Polícia Militar de Mato Grosso/Assessoria

Operação Lei Seca prendeu 3 motoristas embriagados e apreendeu 11 carros na MT-251 entre Chapada dos Guimarães e Cuiabá — Foto: Polícia Militar de Mato Grosso/Assessoria

Uma blitz da Operação Lei Seca prendeu três motoristas embriagados nesse domingo (23) na Rodovia Emanuel Pinheiro (MT-251), saída de Cuiabá para Chapada dos Guimarães, a 65 km da capital. De acordo com a Polícia Militar, a operação começou às 17h e foi encerrada às 19h30.

Em mais de duas horas, os motoristas que retornavam de Chapada dos Guimarães para a capital tiveram que enfrentar congestionamento causado pelas atividades da blitz.

Motoristas que retornavam de Chapada dos Guimarães para Cuiabá enfrentaram congestionamento na blitz da Lei Seca — Foto: Polícia Militar de Mato Grosso/Assessoria

Motoristas que retornavam de Chapada dos Guimarães para Cuiabá enfrentaram congestionamento na blitz da Lei Seca — Foto: Polícia Militar de Mato Grosso/Assessoria

Segundo a PM, 37 infrações foram aplicadas na operação. Dezesseis motoristas foram flagrados dirigindo sob efeito de álcool. Doze motoristas tiveram as carteiras de habilitação recolhidas por estarem com algum tipo de irregularidade.

Três motoristas foram presos embriagados. No total, a blitz aplicou 159 testes do bafômetro. Ainda, os policiais apreenderam 11 veículos durante a operação.

Embriaguez ao volante

O motorista flagrado dirigindo embriagado terá que pagar multa no valor de R$ 1.915,40.

No momento do teste de bafômetro, o condutor que apresentar índice de álcool no sangue superior a 0,34 miligramas de álcool por litro de ar expelido (mg/l) é preso, paga a multa, tem a CNH suspensa e responde por crime. A pena é de detenção de seis meses a três anos.

Quando a quantidade de álcool detectada for abaixo de 0,33mg/l, o condutor é autuado, tem CNH retida e paga multa.

Fonte: G1 Mato Grosso