Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

Região

Indígenas bloqueiam rodovias em MT e cobram pedágio de até R$ 100, diz PRF


Indígenas fazem bloqueios desde a madrugada desta quinta-feira (19) ao longo da BR-070 em Primavera do Leste, a 239 km de Cuiabá. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), são 15 pontos de bloqueio e pedágio na rodovia, que são montados e desmontados simultaneamente.

Segundo a PRF, os indígenas, em ‘comemoração’ ao Dia do Índio, lembrado nesta quinta-feira, cobram pedágios que variam entre R$ 30, R$ 50 e até R$ 100. Alguns deles são da etnia xavante.

Policiais rodoviários também receberam ligações de motoristas sobre pedágios em Sapezal e Comodoro, a 473 km de Cuiabá e 677 km da capital. Não há registro de problemas ou confrontos por causa dos pedágios.

Os índios, conforme a PRF, desmontam os bloqueios assim que percebem a chegada dos policiais rodoviários.

Em Mato Grosso é comum, nesta data, os indígenas bloquearem as rodovias durante todo o dia em ‘comemoração’ ao dia deles.

Fonte: G1 Mato Grosso


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

Região

Dentista é assassinado a tiros dentro de caminhonete ao chegar em casa em MT


Um dentista foi assassinado a tiros na noite dessa quinta-feira (19) em Cáceres, a 220 km de Cuiabá. Segundo informações da Polícia Civil, Guilherme José Mancuso, de 41 anos, foi abordado por dois assaltantes quando chegava em casa.

A vítima estava em uma caminhonete Hilux e foi baleada no pescoço. Os dois suspeitos estariam em uma motocicleta e abordaram o dentista no momento em que ele chegava na residência dele.

Dentista foi assassinado a tiros dentro de caminhonete em Cáceres (Foto: Cáceres Notícias)

Dentista foi assassinado a tiros dentro de caminhonete em Cáceres (Foto: Cáceres Notícias)

A situação ocorreu no Bairro Cavalhada por volta de 21h30 (horário de Mato Grosso).

Depois de ser baleado, testemunhas viram a situação e pediram socorro. Guilherme foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros, mas morreu durante o atendimento médico.

A polícia trabalha com a hipótese de latrocínio ou crime passional. Até a manhã desta sexta-feira (20) nenhuma pessoa havia sido presa ou identificada suspeita de cometer o crime.

Fonte: G1 Mato Grosso