Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

Polícia

Grupo atira contra agentes, explode muro de penitenciária e 26 presos fogem em Rondonópolis (MT)


Um grupo de 26 presos fugiu na madrugada desta sexta-feira (10) da Penitenciária Major Eldo Sá Corrêa, a Mata Grande, em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá. Segundo o Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado de Mato Grosso (Sindspen-MT), bandidos atiraram contra agentes que estavam nas torres de segurança da penitenciária, jogaram explosivos no muro da unidade e ajudaram na fuga dos presos. Inicialmente a penitenciária informou que 31 presos fugiram.

Em nota enviada às 8h, a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) corrigiu o número: foram 26 fugitivos.

Dos 26 presos fugitivos, a Polícia Militar já recapturou cinco deles no Conjunto São José. Dois homens que deram apoio na fuga também foram presos no mesmo bairro. Com eles foram apreendidas 5 armas – quatro pistolas e uma espingarda calibre 12 utilizadas no apoio na fuga.

Segundo a Sejudh, os presos fugiram após a explosão em parte do muro lateral direito. Antes eles serraram a grade de uma das celas do raio 3 e o alambrado que divide o local perto do muro. A explosão foi causada por artefatos presos em uma bicicleta, que foi encostada na muralha e acionada a distância.

Momentos antes da explosão, agentes penitenciários que ficam nas torres de vigilância avistaram duas pessoas se escondendo na mata ao lado da penitenciária e logo em seguida o estrondo, seguido de tiros contra a muralha e os agentes.

A Perícia Oficial já foi acionada para a coleta de material, assim como a Polícia Civil que conduzirá as investigações sobre a fuga.

De acordo com o Sindspen, os bandidos estavam em um matagal, próximo ao presídio, e começaram a atirar nas torres de segurança da unidade, onde ficam os agentes que fazem o monitoramento no local. A situação ocorreu por volta de 1h30 [horário de Mato Grosso].

Segundo a direção, o ataque ocorreu no raio 3 da Mata Grande, entre as torres 2 e 3. Esse local fica perto de uma cela que abrigava, aproximadamente, 70 presos.

Ainda conforme ao sindicato, os presos, possivelmente, acompanhavam o ataque e se comunicavam com o grupo do lado de fora usando aparelhos celulares. As forças de segurança e os agentes começaram as buscas pelos fugitivos ainda durante a madrugada.

Até as 7h15 [horário de Mato Grosso], cinco presos foram recapturados. Outras duas pessoas, que teriam participado do ataque e explosão do muro, foram presas.

A Mata Grande tem capacidade para 828 presos, mas atualmente tem 1,3 mil presidiários.

 Fonte: G1 Mato Grosso

COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

Polícia

Escavações são feitas para encontrar corpo de jovem grávida morta pelo amante em MT


Policiais fizeram escavações nessa terça-feira (20) para tentar localizar o corpo da atendente de lanchonete Franciele Costa, de 28 anos, que estava grávida de sete meses e foi morta em fevereiro de 2014, em Porto dos Gaúchos, a 644 km de Cuiabá.

Segundo a Polícia Civil, um mandado de busca e apreensão decretado com base em investigações do desaparecimento da jovem teve como alvo a propriedade agrícola do pecuarista José Sebastião Boldrin, de 67 anos, conhecido na região como ‘Zé Padeiro’, apontado como autor do crime que vitimou Franciele.

Durante as buscas foram realizadas escavações utilizando uma máquina pá carregadeira, nos vários pontos da fazenda em que o corpo da jovem poderia estar escondido. No interior da casa do investigado os policiais apreenderam cartuchos e cerca de 50 munições de diversos calibres.

O pecuarista foi conduzido à delegacia, onde foi ouvido e autuado em flagrante por posse irregular de munições.

Investigação

As investigações apontam que o suspeito era casado e tinha um relacionamento amoroso com a vítima, que estava grávida de José e ele queria que Franciele fizesse um aborto. No dia 18 de fevereiro de 2014 a jovem saiu para se encontrar com o pecuarista e nunca mais foi encontrada. Até hoje o corpo da vítima não foi encontrado.

A última vez que ela foi vista estava entrando na caminhonete do suspeito. Na ocasião do desaparecimento da jovem, José chegou a ser preso, mas foi posto em liberdade mediante um habeas corpus. Depois, fugiu para o Paraná, onde morou por algum tempo no município de Toledo e depois foi para São Paulo.

Nas investigações, a polícia concluiu que o crime foi premeditado após ela ter pedido dinheiro a ele para comprar uma casa. José sabia que ela estava grávida e, como ela estava pedindo dinheiro e ele não queria dividir a herança, planejou o assassinato dela.

O assassinato teria ocorrido na fazenda de propriedade do amante, naquele município, onde eles costumavam se encontrar.

No mês de dezembro de 2017, Boldrin foi localizado e preso pela equipe da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Cuiabá. No entanto, foi novamente colocado em liberdade.

Fonte: G1 Mato Grosso