Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

cidade

GGI começa ações pela segurança no trânsito em Primavera do Leste


Da Redação

Segundo dados da 40º CIRETRAN de Primavera do Leste, hoje o município está em 5º lugar, em relação ao Estado de Mato Grosso, em número de acidentes. Os dados foram levantados considerando a proporção de habitantes. Ainda segundo a estimativa, o aumento de acidentes no trânsito, foi de 50% em relação ao ano passado. As causas continuam sendo as mesmas, ultrapassagem indevida, falta de uso do cinto de segurança, falar ao telefone quando está dirigindo, entre outras.

Na perspectiva de mudar os números em relação aos acidentes de trânsito em Primavera do Leste, o Gabinete de Gestão Integrada (GGI) lançou mais uma campanha de trânsito no município. O objetivo é conscientizar a população no intuito de diminuir os índices de acidentes. O mês de setembro é marcado pela Campanha Nacional de Trânsito, porém em Primavera do Leste, por meio de iniciativa do GGI, a campanha será de três meses.

“Nós constatamos que uma semana não é o suficiente para fazer uma campanha. Durante esse período iremos ter uma programação extensa, sendo palestras, blitz, audiência pública, entre outras. O mais legal deste ano é que envolvemos a comunidade escolar, promovendo entre os estudantes um concurso de maquetes, obedecendo ao Código de Trânsito Brasileiro para desenvolver o projeto e assim iremos incentivar os alunos a aprender mais sobre o trânsito e também iremos premiá-los”. Afirma Lenice Freitas Teixeira, Chefe da 40º CIRETRAN de Primavera do Leste e integrante do GGI.

O lançamento oficial da Campanha de Trânsito em Primavera do Leste foi realizada na sexta-feira, 1, na praça de eventos. Todos integrantes do GGI, estiveram presentes, entre forças policiais, sociedade civil organiza, por meio da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), também a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) subseção de Primavera do Leste e representantes dos poderes executivo e legislativo.

O vereador Luis Costa (PR) também integrante do GGI ressalta que toda a ação que o Gabinete irá realizar é para que a cidade tenha um trânsito mais seguro. “Com o poder legislativo, atuamos, dando suporte ao GGI, na qual, fazemos indicações, desenvolvemos projetos, promovemos ideias, e sempre no intuito de fomentar mais segurança no trânsito. As ações são importantes na conscientização em relação às Leis do Trânsito, mas eu penso que teríamos que punir os infratores. Eu não vejo nenhuma blitz da lei seca, no centro da cidade à noite. A questão não é criar novas leis, temos que cumprir o Código de Trânsito Brasileiro, porque a lei existe”.

Recentemente o vereador que é secretário executivo do GGI, Manuel Mazutti (PMDB) fez um requerimento junto com o vereador Josafá Barbosa (PP), solicitando uma audiência pública do Trânsito. “A gente está tentando, por meio de um esforço em conjunto, fazer um chamamento para que todos participem e a gente possa melhorar alguma coisa. O requerimento da audiência pública vem atender um anseio do próprio GGI, então a gente na condição de vereador fez o requerimento representando toda sociedade”. Pontua o legislador Manuel Mazutti.


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

Brasil

Michel Temer é preso por força-tarefa da Lava Jato; Moreira Franco é procurado


A Força-tarefa da Lava Jato prendeu Michel Temer, ex-presidente da República, na manhã desta quinta-feira (21). Os agentes também tentam cumprir um mandado contra Moreira Franco, ex-ministro de Minas e Energia. Os mandados foram

expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio.

De acordo com o G1, a Polícia Federal (PF) tentava rastrear e confirmar a localização de Temer desde quarta-feira (20), sem obter sucesso. Por este motivo, a operação prevista para as primeiras horas desta quinta-feira atrasou.

A prisão de Temer tem como base a delação de Lucio Funaro. No ano passado, Funaro entregou à Procuradoria-Geral da República informações complementares do seu acordo de colaboração premiada. Entre os documentos apresentados estão planilhas que, segundo o delator, revelam o caminho de parte dos R$ 10 milhões repassados pela Odebrecht ao MDB na campanha de 2014.

A delação de Lúcio Funaro, operador do PMDB, feita em setembro de 2017 e homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), serviu como base para a força-tarefa da Lava Jato. A colaboração de Funaro detalha como funcionava o esquema de corrupção no Congresso, chefiado por nomes fortes do PMDB – entre eles, Henrique Alves, Geddel Vieira Lima, Moreira Franco, Eduardo Cunha e Tadeu Filippeli.

De acordo com o jornal O Globo, investigadores cruzaram informações e documentos fornecidos por Funaro com planilhas entregues à Justiça pelos doleiros Vinícius Claret, o Juca Bala, e Claudio Barbosa, o Toni. Eles são apontados como responsáveis por mandar valores para o exterior para políticos e empresários, inclusive Altair Alves Pinto, apontado como operador de Eduardo Cunha. Altair era conhecido como “o homem da mala” e repassava dinheiro para Cunha e para o ex-presidente Michel Temer.

Em breve, mais informações.

Istoé 


HOME / NOTÍCIAS

Brasil

Provas do Enem serão aplicadas nos dias 3 e 10 de novembro


As provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano serão aplicadas nos dias 3 e 10 de novembro, segundo cronograma divulgado na tarde de hoje (27) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Pelo calendário, as inscrições estarão abertas de 6 a 17 de maio.

Entre 1º e 10 de abril os estudantes poderão pedir isenção da taxa de inscrição. Nesse mesmo período, o Inep vai receber as justificativas dos que faltaram às provas em 2018. O edital do Enem, conforme o instituto, será publicado no próximo mês.

No ano passado, 5,5 milhões de pessoas se inscreveram para fazer o Enem, mas 4,1 milhões compareceram aos dois dias de provas. Nos dois domingos de exame, os estudantes precisam desenvolver conhecimentos de linguagens, incluindo redação, ciências humanas, ciências da natureza e matemática.

Os resultados do Enem podem ser usados em processos seletivos para vagas no ensino superior público, pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para bolsas de estudo em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni), e para obter financiamento do curso pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Em 2019 o Sisu ofereceu 235,4 mil vagas, distribuídas em 129 universidades públicas de todo o país. Além de universidades brasileiras, os estudantes podem se inscrever em 37 instituições portuguesas que têm convênio com o Inep.

Enem

 

Fonte: Agência Brasil