Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

Opinião - política

Cresce em nosso País atores políticos, com discursos fictícios


Opinião / Com A Palavra

MAIS DIÁLOGO E MENOS ESPETÁCULO

Há quase um ano surgiu em Primavera do Leste, o nome Ulysses Moraes. Um menino moleque, pertencente ao Movimento Brasil Livre (MBL), o que soa bem engraçado, porque o Movimento é para nos livrar de pessoas como Ulysses, demagogo e coisas e tal, mas enfim, ele é um dos que articula o movimento em Mato Grosso. No seu discurso gritado, com palavras de ódio e ordem, deixando a impressão de que sabe o que fala e faz, sem nem sequer ouve seus acusados, quero dizer os políticos com quem pega no pé.

Só a título de informação o Movimento Brasil Livre (MBL) foi considerado um dos maiores movimentos do Brasil que espalhou fake news (notícias falsas) pelas redes sociais. Segundo a empresa Facebook (a maior rede social no Brasil) que vem combatendo as notícias falsas, principalmente nesta campanha eleitoral, retirou do MBL 196 páginas e 87 contas do ar. Só por constatar este fato, sabemos que não podemos confiar em um movimento que espalha a desordem.

Que a situação em nosso País em relação ao andamento da coisa pública, dos nossos representantes, não anda bem, isso é fato! Estamos em uma crise política. Mas tenhamos fé e principalmente conhecimento, para mudar essa realidade votando em pessoas que trabalham e possam representar nosso País, afinal temos 30 anos de democracia, mais ou menos, e estamos apreendendo.

Porém quando os publicitários dizem que é na crise que mudamos que criamos, pois bem, para alguns políticos demagogos a crise é política então a onda é falar de corrupção e passar por cima até de leis para tentar fazer o próprio nome e assim ganhar uns votos.

No município de Primavera do Leste, o trabalho árduo de Ulysses foi atacar os vereadores. Ele em nenhum momento veio até a Casa de Leis para saber o que fazem? Para aonde vai o duodécimo? Quais os projetos de relevância foram aprovados para a cidade? Quais as ações que a Câmara desenvolve para os cidadãos? Então, ele não veio até a Casa de Leis dialogar e conhecer, ele preferiu atacar.

Como sabemos os poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, tem por lei, o direito de receber a Verba Indenizatória, que é um valor proporcional ao município e o cargo que ocupa, para cobrir os gastos com os trabalhos externos, como por exemplo, atendimento ao cidadão, verificação de situações para indicações e projetos de lei, telefone, combustível, viagens, entre outros. Ressaltando que a Verba Indenizatória, é uma forma de restituir o político, pois ele precisa trabalhar dia e noite, já que a demanda da coisa pública não funciona apenas em horário comercial.

Agora você leitor deve estar se perguntando, mas como o político, ou seja, o representante de algum poder irá apresentar que está utilizando o dinheiro para o trabalho público? Agora chegamos ao ponto. Em cada órgão existe uma lei que regulamenta o critério de prestação de contas. Em Primavera do Leste, os vereadores fazem mensalmente um relatório de justificativa de VI, em que detalha O que? Quando? Onde? Como? Porque? Fizeram tal ação. Este relatório é protocolado todos os meses e fica a disposição de cada cidadão, sem contar que é atualizado também no portal da transparência que fica no site da Câmara Municipal.

Então porque Ulysses diz que não existe na Casa de Leis de Primavera do Leste um relatório em que justifica o valor recebido? Ele diz por que antes de julgar e atacar, ele não veio ter conhecimento da coisa pública. A verificação dos fatos, a checagem da informação é o primeiro passo Ulisses para você atuar como representante do povo, não pode sair falando o que não sabe, até porque as pessoas estão cansadas de políticos mentirosos.

Neste contexto o vereador Luis Costa (PR), foi convidado para debater em uma TV Local sobre a VI. Mas como sabemos que a política prega peça, ao chegar a emissora o vereador se deparou com uma sabatina, em que vários ex-políticos, pessoas contrárias a política atual, estavam lá para sabatinar Luis Costa. Essa armação ainda contou com a presença de Ulysses Moraes que afirmou que luta pelo fim da corrupção e não seria candidato.

Veja o link

Que irônico, porque depois três meses, adivinha quem estava nas redes sociais pedindo votos?
Essas situações de escândalos, de picuinhas, de intrigas, muitas vezes são provocadas por aqueles que não concordam com a política séria e correta. Em Primavera sempre foi dois grupos políticos, e quando um perde, ai começa os ataques, e sempre desta mesma forma. Nesta perspectiva, um grupo de ex-políticos, com ex-servidores da Casa de Leis, e outras pessoas que são envolvidas na política, se uniram para atacar a Câmara Municipal. Foi este grupo que protocolou o pedido de cancelamento da VI, sem nem menos saber quais os trabalhos e atuação dos vereadores. Fizeram discursos sem fundamento e conseguiram congelar a VI. Enfim, mais uma informação importante, não foi Ulisses que cancelou a VI em Primavera, ele apenas aproveitou a situação para fazer politicagem.

Ulysses Moraes utiliza todos os recursos de difamação, de fake news para conquistar seu eleitorado. Ele é bem bravo na hora de falar, mas não tem conduta correta para agir. Que precisamos mudar o sistema político, já sabemos, mas precisamos explicar para o povo que só haverá mudança com a participação popular na construção e fiscalização de toda coisa pública. Existem muitos Ulysses por aí, que aproveitam uma onde de raiva, de ódio, para se promover por meio de algumas brechas da lei que o nosso povo leigo não entende.

Quer mudar a política de sua cidade? Estado e País? Participe da gestão pública. Em Primavera do Leste as sessões ordinárias são realizadas todas as segundas às 18h, na Casa de Leis que fica no Bairro Primavera 2. De segunda a sexta a Câmara está aberta das 7h às 13h para receber os cidadãos para visitar, para conversar com os vereadores, para saber mais sobre projetos de lei, para fazerem indicações. Seja um cidadão ativo e defenda seus direitos.
O vereador Luis Costa tem uma atuação parlamentar bem agitada. Ele atende os cidadãos na Câmara, participa das agendas oficiais da prefeitura, também acompanha processo de licitação, visita muitos cidadãos para discutir reivindicações. Luis Costa foi um dos primeiros vereadores em Primavera do Leste a utilizar de maneira diária as redes sociais. Hoje tem três páginas no facebook, e foi a partir das redes sociais que aumentou a interação entre parlamentar e vereador. Seja qual for à ferramenta, esteja sempre conectado com a política, pois é assim que garantimos nossos direitos.

Por isso quero dizer que só iremos chegar lá com pessoas que nos representam de forma descente, quando soubermos quais são os poderes de nossa sociedade? Qual a função de cada um? Quem de fato está na rua trabalhando? Como funciona um processo de licitação? Quantos são destinados para a saúde pública e qual a prioridade? Porque devo participar de conselhos dentro de meu município? E por ai vai…e desta forma estaremos munidos de conhecimento para eleger quem trabalha por nós.

Para encerrar, gostaria de perguntar ao novo Deputado Estadual, Ulysses Moraes, o que vai fazer realmente com a Verba Indenizatória de R$ 65 mil reais que irá receber a partir de janeiro? Será que vai propor a extinção? E se não extinguir, vai aceitar receber? Vai doar? Vai abrir mão de outras mordomias da Assembléia Legislativa, como carro, combustível, um monte de funcionários, cargos de confiança? E agora, José?


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

política

Neri Geller, deputado federal eleito, deixa a prisão depois de HC concedido pelo STJ


Neri Geller (PP) solto na segunda-feira (12) — Foto: TVCA/Reprodução

Neri Geller (PP) solto na segunda-feira (12) — Foto: TVCA/Reprodução

O deputado eleito, Neri Geller (PP) foi solto no início da noite desta segunda-feira (12), após o Superior Tribunal de Justiça (STJ) acatar o pedido de habeas corpus impetrado pela defesa do e ex-ministro da Agricultura Pecuária e Abastecimento no domingo (11). Geller estava preso desde a última sexta-feira (9), em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá.

Ao ser solto, o ex-ministro concedeu entrevista à equipe de reportagem da TV Centro América. Ele negou as acusões e disse que não é indiciado, apenas teve o nome citado em uma delação.

“Não fui chamado para depor em nenhum momento das investigações e vou me inteirar das acusações e depois vou manifestar junto à imprensa”, disse.

O deputado eleito disse ainda que algumas pessoas que estão sendo acusadas de corrupção foram desafetos políticos dele durante o tempo em que foi ministro.

As investigações foram baseadas na delação do doleiro Lúcio Funaro, apontado como operador do MDB. Foram presos na ação Antônio Andrade (também ex-ministro da Agricultura), Rodrigo Figueiredo (ex-secretário de Defesa Agropecuária do Mapa, que já conseguiu liberdade), o empresário Joesley Batista e mais 13.

Ex-ministro diz que nunca foi chamado para depor — Foto: TVCA/Reprodução

Ex-ministro diz que nunca foi chamado para depor — Foto: TVCA/Reprodução

A prisão

O ex-ministro foi preso durante a Operação Capitu, por suposto envolvimento em um esquema de corrupção no Ministério da Agricultura entre 2013 e 2014 e é um desdobramento da Lava Jato.

Neri Geller estava hospedado em um hotel de Rondonópolis porque participaria de um evento agropecuário. Por volta de 6h, três agentes da Polícia Federal (PF) chegaram ao local em carro descaracterizado e o levaram em cumprimento a um mandado de prisão temporária.

Após a prisão, Geller foi levado para a delegacia da PF e, posteriormente, encaminhado para a Penitenciária Major Eldo de Sá Corrêa, a Mata Grande, por não ter nível superior.

Fonte: G1 Mato Grosso