Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

Brasil

Covid-19: Brasil tem mais de 200 milhões de doses de vacinas aplicadas


Vaincação contra covid – Vacina Astrazeneca – Centro de Saúde n°13, 23/07/2021 Fotos: Myke Sena/MS

O Brasil ultrapassou a marca de 200 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 aplicadas, informou o Ministério da Saúde. Até agora, são 134 milhões de pessoas com a primeira dose e mais 66,5 milhões com a imunização completa.

Estudos recentes mostram que as vacinas reduzem significativamente o risco de morte, de internações e de infecções causadas pelo vírus. No entanto, a vacina não evita completamente que a pessoa se contagie nem que leve o vírus para outras pessoas.

Segundo a pasta, mesmo com a vacina, os cuidados individuais, como o uso de máscara, álcool em gel e o distanciamento social, são importantes para evitar o contágio.

O Brasil registra, no total, 20.877.864 casos notificados de covid-19 desde o início da pandemia e 583.362 mortes. Os dados foram divulgados neste sábado (4) pelo Ministério da Saúde, com base em informações disponibilizadas pelas secretarias estaduais de Saúde.

O número de pessoas recuperadas da doença chegou a 19.838.912 (95%). De acordo com o balanço, há 455.590 casos em acompanhamento e 3.475 óbitos em investigação.

Por Camila Boehm – Repórter da Agência Brasil – São Paulo


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

política

Vereador Luis Costa se posiciona contrário as festas de finais de ano e Carnaval e solicita que dinheiro vá para saúde


Da Redação

Muitos gestores das cidades do País afirmaram que não irão realizar as festas públicas e populares como Réveillon e o Carnaval, e entre elas está o município de Sorriso – MT, que fica um pouco mais de 400 quilômetros da capital Cuiabana. Durante a última sessão ordinária em Primavera do Leste, o vereador Luis Costa (PDT) se posicionou contrário a realização das festas na cidade e ainda parabenizou o prefeito de Sorriso, Ari Genésio Lafin (PSDB).

“Eu quero dizer que fico muito feliz pela atitude do prefeito Ari de Sorriso, pois diferente do nosso prefeito, por lá ele já cancelou o réveillon e o carnaval e afirmou que o dinheiro será gasto na saúde, vai para as cirurgias. Quero parabenizar atitude do prefeito, pois aqui em Primavera do Leste, a realidade é triste, pois tem muitas pessoas na fila de espera por exames e cirurgias de média e alta complexidade que estão sofrendo muito, alguns com dores fortes, e por enquanto, não existe uma alternativa a não ser esperar, e atitude assim, não temos visto por aqui”. Afirma Luis Costa.

Segundo o legislador, a declaração utilizada pelo executivo para a execução das festas é que o dinheiro será oriundo de patrocínios de empresas da cidade, em que, desta forma será possível realizar as festas, no entanto, Luis Costa questiona os valores que serão pagos.

“Existem falatórios na cidade de que as empresas ‘chegadas’ do executivo, pagam a mais de 6% a 15%, pois dizem que existe até uma tabela. Então se formos pensar, esse dinheiro gasto para as festas é público, desta forma daria a mesma coisa. Bom, se existe o patrocínio das empresas para as festas, é melhor usar o dinheiro na saúde, de qualquer forma faria o bem para muitas pessoas que estão com problemas graves e não tem condição de se tratar”. Aponta o legislador.

Outra situação apontada pelo vereador é a falta de fiscalização nas casas noturnas da cidade, nos finais de semana, pois a reclamação de bagunça e som alto não param. Luis Costa relata que tem uma boate no centro da cidade que colocou uma placa do lado de fora explicando que não pode urinar na parte de fora, porém a situação é bem complicada porque o lugar fica lotado, e o questionamento do vereador é que se o número de pessoas está maior do que o espaço dispõe.

“Pode acontecer uma tragédia, igual aconteceu em Santa Maria com a boate Kiss, pois o local fica lotado e não há fiscalização. Precisamos da ação urgente dos fiscais. Na frente do lago municipal tem outra casa noturna e por lá o som tem ultrapasso os decibéis exigidos pela lei. As pessoas tem reclamado do barulho do som. O executivo não pode deixar a cidade como terra de ninguém e precisa exigir fiscalização e segurança pública. O Covid-19 ainda não acabou. Infelizmente vemos pessoas em festas sem máscaras e pessoas nas igrejas com máscaras. Que cidade é essa? Conclui Luis Costa.