Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

Polícia

Carro capota após colisão em cruzamento próximo ao Lago Municipal


Uma mulher ficou gravemente ferida após colidir o veículo Gol, branco, com placas de Primavera do Leste, com um Siena, também branco e com polacas de Primavera, na tarde desta quinta-feira (22), por volta das 12h40, em um cruzamento do Bairro Parque das Águas, próximo ao Lago municipal. O local não possui sinalização, porém, a preferência era do condutor do Siena, que teve apenas escoriações.

O acidente aconteceu no cruzamento da Rua Bari com a Rua Arezzo. A condutora que estava dentro do carro que capotou seguia pela Rua Arezzo, sentido Avenida Paraná, quando colidiu com o Siena que estava na Bari, sentindo Câmara.

Como o local não possui sinalização, a preferência era do Siena, pois ele estava à direita, conforme o Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência foi acionado e encaminhou a vítima para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) para receber os cuidados médicos. Na upa a vítima chegou com suspeita de traumatismo craniano, apresentando confusão cerebral. A unidade disse que ela não corre risco de morte, porém deve ser encaminhada para o Hospital Regional de Rondonópolis, para que possa passar por avaliação junto a um neurologista.

Em contato com o coordenador da Coordenação Municipal de Trânsito e Transportes Urbanos (CMTU), Thiago Silva, as placas de Pare já foram solicitadas à Secretaria de Fazenda e a coordenação aguarda autorização para a compra, porém, não há uma previsão de quando elas sejam colocadas. No local também não há sinalização dos logradouros públicos, porém, ele informa que isto é de responsabilidade da loteadora.

Outros acidentes já foram registrados no local, por conta da falta de sinalização. É importante que, enquanto o Poder Público não resolve a situação da falta de placas de Pare, para evitar acidentes no local, os condutores se atentem ao que diz o CTB e respeite a regra de conceder passagem para quem estiver à direita, sempre que um cruzamento não tiver a sinalização devida.

Fonte: Da Redação do CliqueF5


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

política

Neri Geller, deputado federal eleito, deixa a prisão depois de HC concedido pelo STJ


Neri Geller (PP) solto na segunda-feira (12) — Foto: TVCA/Reprodução

Neri Geller (PP) solto na segunda-feira (12) — Foto: TVCA/Reprodução

O deputado eleito, Neri Geller (PP) foi solto no início da noite desta segunda-feira (12), após o Superior Tribunal de Justiça (STJ) acatar o pedido de habeas corpus impetrado pela defesa do e ex-ministro da Agricultura Pecuária e Abastecimento no domingo (11). Geller estava preso desde a última sexta-feira (9), em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá.

Ao ser solto, o ex-ministro concedeu entrevista à equipe de reportagem da TV Centro América. Ele negou as acusões e disse que não é indiciado, apenas teve o nome citado em uma delação.

“Não fui chamado para depor em nenhum momento das investigações e vou me inteirar das acusações e depois vou manifestar junto à imprensa”, disse.

O deputado eleito disse ainda que algumas pessoas que estão sendo acusadas de corrupção foram desafetos políticos dele durante o tempo em que foi ministro.

As investigações foram baseadas na delação do doleiro Lúcio Funaro, apontado como operador do MDB. Foram presos na ação Antônio Andrade (também ex-ministro da Agricultura), Rodrigo Figueiredo (ex-secretário de Defesa Agropecuária do Mapa, que já conseguiu liberdade), o empresário Joesley Batista e mais 13.

Ex-ministro diz que nunca foi chamado para depor — Foto: TVCA/Reprodução

Ex-ministro diz que nunca foi chamado para depor — Foto: TVCA/Reprodução

A prisão

O ex-ministro foi preso durante a Operação Capitu, por suposto envolvimento em um esquema de corrupção no Ministério da Agricultura entre 2013 e 2014 e é um desdobramento da Lava Jato.

Neri Geller estava hospedado em um hotel de Rondonópolis porque participaria de um evento agropecuário. Por volta de 6h, três agentes da Polícia Federal (PF) chegaram ao local em carro descaracterizado e o levaram em cumprimento a um mandado de prisão temporária.

Após a prisão, Geller foi levado para a delegacia da PF e, posteriormente, encaminhado para a Penitenciária Major Eldo de Sá Corrêa, a Mata Grande, por não ter nível superior.

Fonte: G1 Mato Grosso