Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

política

Ambulância de Primavera do Leste estraga e paciente é transportado em cima de caminhão de guincho


Da Redação

Vereador Luis Costa recebeu a denuncia da própria família e confirma que a idosa veio em cima do guincho, dentro da ambulância junto com o paciente e a técnica de enfermagem.

O caso ocorreu na sexta-feira à noite, o paciente voltava de um exame de um hospital de Cuiabá e veio com a sua esposa como acompanhante na ambulância da Secretaria de Saúde de Primavera do Leste. O problema é que em Campo Verde a ambulância quebrou.

“A ambulância quebrou cerca de 80 quilômetros de Primavera do Leste e logo passou um guincho que estava vindo de Cuiabá e indo para Primavera, e foi quando o motorista decidiu voltar com o guincho, porque segundo ele iria demorar muito, até mais de duas horas para que a outra ambulância chegasse, então fomos guinchados. Eu não acreditei porque meu marido, junto comigo e a técnica em enfermagem tivemos que vim em cima do caminhão do guincho, dentro da ambulância, sendo que não é seguro e essa situação foi um desrespeito com nós cidadãos”. Afirma a esposa do paciente.

A idosa questionou: Porque fizeram isso? Diante da situação os familiares chamaram o vereador Luis Costa (PL) para acompanhar o caso, e a idosa afirmou ao legislador que está revoltada e indignada. “Se tem outras ambulâncias na cidade do município porque mandaram a mais velha e com problemas para buscar a gente? Porque não enviaram uma mais nova? Meu marido doente, e tendo que passar por essa situação. No momento em que o guincho estava subindo a ambulância, nós todos dentro, e eu achei que iríamos cair ou tombar, foi horrível essa situação. Nunca mais quero passar por isso”. Explica a esposa do paciente.

Diante da situação o vereador Luis Costa procurou a Secretaria de Saúde para saber como ocorreu todo o fato, e a Paula Castilho, que é coordenadora da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) explicou que a decisão foi tomada pelo motorista na intenção de reduzir o tempo de espera e também afirmou que o filho da aposentada autorizou a vinda do paciente e acompanhante pelo guincho. Ainda a coordenadora afirma que a ambulância é equipada com cilindros de oxigênio, e não teria problemas em esperar, pois havia mais de um cilindro, o que não colocaria em risco a espera pela ambulância adequada, ao contrário do que ocorreu com o paciente em cima do caminhão de guincho.

Luis Costa ligou para o filho do casal para confirmar a informação e o rapaz em gravação de áudio afirma que não autorizou a vinda dos pais em cima do guincho e que também está revoltado com a situação.

Para investigar a situação o vereador solicitou a Prefeitura Municipal de Primavera do Leste, por meio da Secretaria de Saúde, informações em relação à utilização de todas as ambulâncias do município na sexta-feira à noite. “Precisamos saber onde estavam as outras ambulâncias que não puderam buscar o paciente em Cuiabá? Porque no ano passado pelo duodécimo da Câmara doamos o valor para a compra de duas novas ambulâncias para a Secretaria de Saúde, e ainda tem uma terceira que foi doada por uma empresa privada. Diante da situação quero explicações dos motivos da utilização da ambulância mais velha e também da decisão de trazer o paciente com a família no guincho”. Questiona o vereador Luis Costa.

Luis Costa também explica que existem normas de trânsito a serem seguidas em relação ao transporte de pacientes. “Quem possui veículos está sujeito a enfrentar problemas mecânicos nas ruas e estradas, além da situação de ter que remover o veículo até uma oficina. Quando isso ocorre em local afastado, especialmente em rodovias, além do veículo, os seus ocupantes também precisam ser transportados, mas vem a questão: os ocupantes podem ser “guinchados” no interior do veículo danificado?”

Luis Costa ressalta que ocorrendo alguma situação que impeça o deslocamento do veículo, não se devem esquecer os artigos do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).  “Entendemos que na situação em que o veículo danificado é transportado na plataforma, ele assume a condição de “carga”, como se fosse uma caixa, p.ex.. Sendo uma carga, transportar alguém em seu interior seria algo semelhante a transportar alguém dentro de um container. O veículo, nessa condição de “carga” não oferece a segurança correspondente à sua condição como veículo, ficando na dependência do veículo que o transporta. A conclusão é que se o veículo é “carregado” por outro, os passageiros não podem ocupar seu interior durante o deslocamento, nem com cinto de segurança”. Explica Luis Costa.

Além da solicitação de informações, o legislador recomenda o cumprimento dos padrões de saúde.


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

cidade

Audiência Pública discute a concessão da rodovia MT-130 no trecho que liga Primavera a Paranatinga


Foi realizada pela Secretária Estadual de Infraestrutura (SINFRA-MT) uma audiência pública, no plenário da Câmara Municipal, na manhã desta segunda-feira (16) para discutir a concessão da rodovia MT-130, trecho de 140,6 quilômetros que liga Primavera do Leste a Paranatinga. Na oportunidade, um estudo técnico elaborado pela empresa ‘Planos Engenharia’ foi apresentado aos participantes, que eram por sua maioria produtores rurais. O objetivo do Governo é implantar um sistema de privatização em que a cobrança do pedágio só comece após a empresa que ganhar a licitação realizar a completa recuperação da rodovia.

Durante a discussão, representantes de instituições e vereadores se posicionaram contrário à privatização nos moldes proposto pela Secretaria de Infraestrutura. Segundo o presidente do Legislativo primaverense, Paulo Márcio (DEM) a audiência pública alcançou o objetivo de ouvir e dialogar com a população. “Porém, os primaverenses se manifestariam contrário a essa modalidade de concessão apresentada e, é esse o intuito de uma audiência, buscar entender os anseios da comunidade e juntos encontrar alternativas”, afirmou.

Na ocasião, a vereadora Carmen Betti (PSC) ressaltou que a audiência pública é um mecanismo da democracia e tem poder de decisão. Nesta ótica, o Governo precisará respeitar a opinião dos mato-grossenses quanto pedagear a rodovia.  “Sou contra jogar o ônus mais uma vez para a população. Penso que um verdadeiro administrador público chama a responsabilidade para si, invés de terceirizar e realizar concessões, assim se isentando de sua responsabilidade e trazendo mais tributos para a população”, salientou.

O representante da Sinfra, Hugo Watson, comentou que o governo não tem condição de manter toda a malha rodoviária. “Mato Grosso tem mais de 20 mil quilômetros de rodovias não pavimentadas e 180 mil quilômetros de estradas vicinais que também não são pavimentadas. Além disso, temos 8 mil quilômetros de rodovia pavimentada, desses 4 mil quilômetros se encontram intransitável, e 2 mil quilômetros praticamente acabadas. Nosso foco é buscar alternativas para melhorar a infraestrutura e trafegabilidade e, é dessa forma (pedágio) que podemos amenizar o sofrimento dos produtores e sociedade em geral”, comentou.

O vereador Manoel Mazzutti (MDB) rebateu a explanação de Hugo. Segundo o parlamentar, “as rodovias, que existem no estado, em condições intransitáveis não estão assim por culpa dos produtores e transportadores que já pagam diversos impostos como; Fethab, CID de combustível, IPVA, entre outros impostos. Eles pagam muitos tributos e não está faltando empenho de quem produz e transporta. Acredito que seja necessário moderar o discurso. Precisamos sim de uma solução para rodovia MT-130, mas não a mesma aplicada no trecho que liga Primavera a Rondonópolis, que é um modelo cheio de penduricários e de valor absurdo”, disse.

O parlamentar Luis Costa (PR) também se posicionou contrário ao modelo de concessão. “Fui o primeiro a denunciar o pedágio cobrado pela Morro da Mesa. Já pagamos tantos impostos, cumprindo com o nosso papel, e o governo? O governo precisa começar a utilizar de forma eficiente o nosso dinheiro e reverter em melhor infraestrutura nas rodovias”.

Conforme o vereador Miley Alves (PV) discutir essa temática não é do agrado da maioria da população da região. “Posso dizer que tive a oportunidade de trafegar na rodovia MT-130 em boas qualidades sem pagar nada além dos impostos. Sou contra a privatização e acho que nem deveríamos estar falando sobre a concessão, mas sim em como o Governo pode fazer para melhorar a qualidade de trafegabilidade da rodovia, visto que foi uma promessa da atual gestão estadual”. O parlamentar também criticou o fato da audiência ter sido pouco divulgada pela Sinfra e o horário marcado é de difícil acesso de participação.

O vereador Antônio Marcos, o Piru (PP) demonstrou sua preocupação em relação a como o Governo do estado tem conduzido a resolução de algumas situações. “Afetando os produtores que auxiliam diariamente na melhoria do estado, porque vejo em muitas situações nosso prefeito firmando parcerias com eles para recuperar estradas. Sou contrário porque essa modalidade afeta todos nós”.

O vereador Carlos Instrutor (PSD) parabenizou os prefeitos e produtores que por anos mantém a manutenção de diversas rodovias e propôs que o governo faça uma audiência pública com os produtores para debater uma parceria que mantenha as rodovias em boas condições. “Tenho que Morro da Mesa perderia para esses guerreiros que são os agricultores de nossa região. Eles que há muito tempo tem tirado dinheiro do bolso e investido em infraestrutura”. A vereadora Iva Viana (PDT)  também se posicionou contra a tercerização. “Sou agricultora e moro em Primavera do Leste há 34 anos. Sei da dificuldade do agricultor e dos desafios. Sou contra o pedágio, porque não acho justo que a conta sempre recaia sobre os nossos ombros”.

A vereadora Edna Mahnic (PT) afirmou ser contra qualquer tipo de privatização. “Mas caso seja optado pela concessão da rodovia, precisamos discutir a compensação de impostos, como IPVA, Fetabh, entre outros. Mas antes disso, temos que continuar a debater essa temática, de forma consciente, pois afeta a nossa sociedade”.


HOME / NOTÍCIAS

Região

Pai e filho são encontrados mortos fora de avião que caiu e explodiu em MT, dizem bombeiros


A aeronave pegou fogo ao bater no solo. Um morador flagrou o momento em que o avião perdeu altitude e caiu; pai era empresário e o filho, engenheiro.

 

 Pai e filho foram identificados como as vítimas do acidente com um avião de pequeno porte que caiu no fim da tarde desta segunda-feira (16) em Guarantã do Norte, a 721 km de Cuiabá.

 

De acordo com o Corpo de Bombeiros, as vítimas foram identificadas como Jair Demski e João Anderson Demski, pai e filho, respectivamente. Jair era empresário e dono de uma empresa de engenharia, indústria e comércio. O filho, engenheiro, trabalhava com ele.

A idade de ambos não foi divulgada. Os bombeiros disseram que encontraram os corpos de pai e filho fora do avião e parcialmente carbonizados.

 

A aeronave pegou fogo ao bater no solo. Um morador flagrou o momento em que o avião perdeu altitude e caiu.

As informações iniciais são de que o avião de pequeno porte pertencia ao empresário e que o destino final seria o município, mas a aeronave caiu a cerca de dois quilômetros da pista de pouso.

 

Anda não se sabe de onde os dois tripulantes, pai e filho, teriam decolado. Os corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) pela equipe de perícia técnica e a Polícia Civil investigará o caso.

Bruno Dourado, TV Centro América


HOME / NOTÍCIAS

A Palavra - Opinião

A importância de ser desnecessário


“É essencial adquirir maturidade para perceber o momento de se sair de cena em uma determinada situação, mesmo contra a sua vontade.” Luciene Afonso 

Uma mãe deixa de sentir os sintomas da “síndrome do ninho vazio” quando ela descobre que tem uma vida para cuidar, quando cai a ficha de que não é honesto projetar no filho as suas próprias necessidades de afirmação, quando ela se esquece o quanto é mulher, está cheia de vida e não faz sentido sujeitar o filho as regras que foram a ela impostas. Sé é você essa mãe e agiu assim a vida toda saiba que não é justo projetar as suas necessidades não atendidas na vida dele.  O processo de amar deve ser leve, respeitando as fases dos filhos para que gradativamente se senta feliz pelo fato de você ser cada vez menos necessária.
O adulto doente se apega além da conta em vivencias sem sentido, existe um vazio existencial que o impede de enxergar o óbvio, é o momento onde as outras pessoas são usadas como desculpas para suas atitudes disfuncionais. Nada do que fazemos é coincidência e, se tivermos coragem de olhar para os nossos defeitos, entenderemos a função de toda a nossa disfunção.
Pra que eu preciso dessa doença? Quantos filhos fazem isso para chamar  e receber a atenção dos pais? Que também já fizeram isso, como um ciclo doente que não delimita pai e mãe no seu real espaço. Saiba que o medo do futuro e todas as desculpas que você conta para impor a sua vontade da vida dos seus filhos não aliviam a culpa de term sido desnecessários no momento certo.Porque eu preciso dessa pobreza? Já parou para pensar que você não tem na sua conta hoje a quantia que gostaria de ter porque ainda não está preparado? Quantas histórias de pessoas milionárias da noite para o dia que voltaram a ser pobres, exatamente como eram em bem pouco tempo?  E se você ganhasse hoje R$20.000,00 por mês o que de fato mudaria? Talvez somente o valor dos boletos e nada mais. O grande lance da autossabotagem que muitos vivem e não percebem em relação ao dinheiro é não ganhar mais para não precisar sustentar os parentes, não emprestar para um amigo folgado, e por aí vai. É inconscienteQuando o adulto está doente nos pilares sexualidade, financeiro e corpo e mente, passa a carregar peso além do que suporta, leva mais porrada na vida, sente mais dores pelo  corpo e chega a adoecer. Neste momento é a hora de furar o esquema!  Se ver livre de amizades e relacionamentos tóxicos e totalitários, aquele grupo de pessoas que acreditam que a vida é mesmo assim, que passar privação financeira é normal dentro de um país cheio de desigualdade, que homem é tudo igual e ninguém é de ninguém, que a culpa é deste ou daquele outro, etc. Geralmente discurso que excluem a autorresponsabilidade, pensamentos de quem jamais alcançará resultados significativos na vida, ou seja, conversa fiada de pessoas desnecessárias.Saia fora o quanto antes! Para que na sua vida o equilíbrio exista de fato.Não são todos que aceitam  numa boa serem desnecessários, não dar sua opinião onde não foi chamado, oferecer ajuda para quem não pediu, cobrar compromisso de quem nunca prometeu nada, são frustrações previsíveis que acontecem todos os dias por causa da velha mania de tratar como prioridade o que é apenas uma opção no meio de tantas outras.  Eu gosto de ouvir histórias e observar o comportamento das pessoas e percebo que elas se repetem, as dores e os fantasmas são os mesmos, o que muda é a atitude de quem quer de fato evoluir, vale ressaltar que evoluir nem sempre é a melhor saída, como exemplo um paciente em estado grave no hospital pode evoluir para o óbito, então se atenha a resolver os seus problemas e não os esconda debaixo do tapete, pode parecer que tudo está bem e na verdade não está.

“Quando você consegue ser honesto e verdadeiro, a perfeição passa a ser desnecessária!” Reinaldo Ribeiro 

  

Luciene Afonso 

Master Coach 

Palestrante

Jornalista

Analista Corporal e Comportamental