Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

cidade

Adversário dos Viana, Léo cita arrogância da oposição e propõe alinhamento político


Adversário dos Viana e eleito com maioria esmagadora de 69% dos votos válidos (17.608), nesse domingo (19), o agora prefeito eleito de Primavera do Leste Leonardo Bortolin, o Léo (PMDB), considera que a oposição  apresenta comportamento arrogante na forma de conduzir a política na cidade. Ao contrário disso, ele defende alinhamento político, até mesmo de adversários, a fim de viabilizar as necessidades mais urgentes do município.

“O partido deve ser o partido de Primavera. Ao contrário dos Viana, eu não tenho essa característica arrogante, característica de oposição ferrenha. Acho que a gente tem que trabalhar junto. Politicamente a gente só constrói junto e não dessa maneira desagregadora”, comenta em entrevista ao , nesta segunda (20).

Léo conta que durante a campanha eleitoral, recebeu o apoio de 11 vereadores primaverenses. Agora, pretende lutar para agregar todos os 15 que compõem o Legislativo. “Queremos fazer com que Primavera volte a ser uma potência tanto no Estado quanto no Brasil, levando qualidade de vida às pessoas. Tenho certeza que vamos fazer gestão aberta, que é uma característica minha, vamos ouvir a população, chamar a comunidade para a responsabilidade”.

Léo deixou a presidência da Câmara para comandar o município interinamente após a saída do ex-prefeito Getúlio Viana (PSB), que teve sua candidatura indeferida e se viu obrigado a deixar a gestão em setembro. A adversária Carmen Betti (PSC), que recebeu 30,75% dos votos válidos (7.817), contou com o apoio do deputado estadual Zeca Viana (PDT) e de Getúlio, mas não bastou.

Os Viana são considerados uma família de grande força política da região. Na corrida pela prefeitura, chegou a lançar o filho de Zeca, Mateus Viana, à disputa, mas ele desistiu logo no início da campanha, deixando a candidatura para Carmem. Léo, por sua vez, chegou a denunciar que estava sendo vítima de “campanha maldosa” dos adversários, mas afirmou que não iria revidar as provocações.

Agora eleito, avalia que a mudança de opção da população se deve ao anseio por pessoas novas na política, com ideias novas. “É bem interessante mencionar que do secretariado que tenho hoje, apenas um tem experiência política, os demais foram indicados pelas categorias. Eu abri o espaço para a sociedade mesmo”, comenta Léo.

Apesar disso, ele não descarta mudanças em seu staff, mesmo mantendo a representatividade dos setores. Pondera que ainda precisa sentar e conversar com sua base antes de tomar qualquer decisão.

Prioridades

Entre as prioridades, estão a Saúde e Desenvolvimento, que inclui concluir as reformas necessárias para desenvolver políticas públicas em cada área de maneira mais forte. Neste contexto, Léo conta que quando assumiu a gestão, havia cinco postos de saúde parados há quase um ano, já com notificação para devolução dos recursos a Brasília. “Destravamos essas obras, três já foram retomadas e a quarta retoma essa semana”, adianta.

Além disso, Léo garante que o centro de hemodiálise do município deve começar a funcionar até dezembro deste ano e promete fortalecer as obras estruturais de esgoto, bem como executar obras para embelezar a cidade.

Caixa

Apesar de não citar valores, Léo garante que o dinheiro para o 13º dos servidores já está em caixa e descarta qualquer possibilidade de atraso no pagamento dos salários. Ele revela, inclusive, que 2018 começará com saldo positivo.

Governo

O prefeito de Primavera aponta que independente de partido, o governo, sob Pedro Taques (PSDB), precisa dar atenção a todos os prefeitos dos 141 municípios do Estado. Nesta linha, comenta que a cidade tem demandas urgentes de Saúde e que tem buscado horário na agenda do governador, até o momento, sem sucesso. “Espero que agora eu consiga”.

Por fim, Léo defende que haja alinhamento político com o governador para potencializar as ações do município. “Meu palanque teve Marco Marrafon (secretário estadual de Educação), que é meu amigo, meu parceiro. Tivemos com Suelme Evangelista (secretário estadual de Agricultura), também é meu amigo. A deputada estadual Janaina Riva (PMDB), o deputado federal Valtenir Pereira (PSB), o ex-deputado Luizinho Magalhães. Recebemos apoio dos mais diversos, como do senador Wellington Fagundes (PR), o federal Carlos bezerra (PMDB). Essa campanha oxigenou pluripartidariamente. Para mim é motivo de muita honra”.

Fonte: Eduarda Fernandes/ RDNews


COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

Brasil

Sisu 2019 abre inscrições nesta terça; tire suas dúvidas e saiba como funciona


Página inicial do Sisu — Foto: Reprodução

Página inicial do Sisu — Foto: Reprodução

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) abriu as inscrições nesta terça-feira (22) aos candidatos que desejam disputar uma vaga nas universidades públicas participantes. Por meio da nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), serão selecionados 235.461 estudantes para 129 instituições.

É possível se inscrever até sexta-feira, dia 25.

Abaixo, veja as principais dúvidas sobre o Sisu:

Quem pode participar do Sisu?

Para participar, é necessário ter feito o Enem 2018 e tirado nota acima de zero na redação. Os resultados individuais do exame foram divulgados na última sexta (18) e podem ser consultados na página do participante. Basta digitar o CPF e a senha cadastrada no sistema.

Para que serve o Sisu?

O Sisu oferece 235.461 vagas em diversas universidades públicas. Deixa de ser necessário fazer um vestibular para cada uma – por esse sistema, o candidato usa a nota do Enem para pleitear uma vaga nas 129 instituições de ensino participantes.

Como funciona?

O Sisu é um sistema que usa a nota do Enem para selecionar alunos que desejam estudar em universidades públicas do país. Ele funciona assim:

  • a partir do dia 22 de janeiro, o candidato deve entrar no site do Sisu (http://sisu.mec.gov.br/)
  • na página do sistema, é possível fazer uma busca por universidade, curso ou município. Por exemplo: “odontologia” em “Curitiba”. O sistema exibirá todas as instituições na capital paranaense que dispõem de vagas nessa graduação.
  • o candidato deve escolher duas vagas para disputar e confirmar a inscrição para elas. Atenção: é preciso indicar a ordem de preferência.

Feito isso, o ideal é que o candidato fique atento até sexta-feira, dia 25, quando o sistema fechará as inscrições. É possível mudar as opções de curso no decorrer da semana, com base nas notas de corte parciais que são divulgadas.

O que são essas notas de corte?

O Sisu divulga, uma vez por dia, uma nota de corte parcial para cada modalidade e curso. Ela é uma referência para ajudar o estudante a se inscrever em uma opção na qual realmente tenha chances de aprovação.

Ela é calculada da seguinte forma: supondo que sejam 30 vagas de ampla concorrência no curso de educação física, na universidade X. No primeiro dia, 60 candidatos se inscrevem para essa opção. Entre eles, vão ser aprovados os que tiverem as 30 maiores notas no Enem. Ou seja: a nota de corte será a 30ª mais alta. Exemplo: 642 pontos.

Se, no dia seguinte, alunos com desempenho melhor se inscreverem, esse patamar vai subir. Por isso, é importante ficar atento e selecionar opções em que haja chance real de aprovação. Se a nota do candidato for de 450, dificilmente ele será selecionado em um curso cuja pontuação mínima seja 642. Vale procurar outra opção.

É bom repetir: a nota de corte é só uma referência. Mesmo após a última ser divulgada, na sexta-feira, outros participantes podem se inscrever até o fim do dia – o que muda a nota mínima. Consequentemente, só é possível saber se realmente foi aprovado quando os resultados forem publicados (28/01).

O que acontece se eu passar só na segunda opção?

Se o candidato for selecionado somente na segunda opção de curso, essa será sua única oportunidade de se matricular pelo Sisu. Ele não poderá participar da lista de espera.

O que acontece se eu não passar em nenhuma das opções? Participo da lista de espera?

Caso o candidato não seja aprovado, precisará manifestar interesse em participar da lista de espera. Ele deverá escolher uma das opções de curso para tentar novamente.

Cada universidade disponibilizará um determinado número de vagas com base nas que não foram ocupadas na 1ª chamada.

Por que minha nota do Enem é diferente em cada universidade?

As universidades atribuem um peso à nota de cada prova do Enem. Não basta somar o desempenho em cada componente (ciências da natureza + ciências humanas + linguagens + matemática + redação) e dividir por 5.

Por exemplo: um curso de medicina na faculdade X pode calcular uma média em que a disciplina de ciências da natureza tenha mais importância do que a de linguagens.

O que significa “ampla concorrência”?

São as vagas que não entram no sistema de cotas e de políticas afirmativas em geral.

Como participar das cotas?

Pela Lei de Cotas, todas as universidades participantes do Sisu devem reservar uma parcela das vagas para estudantes que cursaram o ensino médio na rede pública. Dessas, metade será destinada a candidatos com renda familiar mensal por pessoa de até 1,5 salário mínimo.

As instituições têm o direito também de criar ações afirmativas próprias. Podem, por exemplo, dar um bônus na nota de candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas.

Mesmo me inscrevendo no Sisu, posso participar do Prouni?

O candidato inscrito no Sisu também pode fazer a inscrição no Programa Universidade para Todos (Prouni), caso atenda aos critérios do programa. Se for aprovado em ambos, deve escolher somente uma opção.

Não é permitido que um aluno do Sisu estude simultaneamente em uma universidade particular pelo Prouni.

Calendário do Sisu 1º semestre de 2019

  • Inscrições: 22/1 a 25/1
  • 1ª chamada: 28/1
  • Matrículas da 1ª chamada: 30/1 a 4/2
  • Inscrição na lista de espera: 28/1 a 4/2
  • Convocações de outras chamadas: a partir de 7/2

Fonte: G1 Mato Grosso